O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

BrOffice.org/MsOffice – algumas perguntas frequentes

Publicado por Paulo em 02/08/2010

Esse texto foi extraído da Intranet da empresa onde trabalho e foi enviado por Roberson Cesar Alves de Araujo [roberson] em 28/07/2010 – 14:49. O texto teve algumas linhas modificadas para atualização e correção ortográfica e gramatical.

Dicas IMPORTANTES BrOffice / MSOffice

Em minha empresa, sempre surgem problemas com formatos de arquivos do MS-Office e do BrOffice. Qual a forma correta de tratar essa questão ?

Esta questão requer um embasamento conceitual, afim de evitar o simples “adestramento”, infelizmente, tão comum entre os usuários de sistemas informatizados. Todos os conceitos abaixo se referem ao Microsoft Office até a versão 2003. A versão 2007 mudou completamente o seu formato de arquivos, como é de praxe ocorrer entre as diferentes versões deste software por questões mercadológicas (forçar o usuário a mudar de versão).

Formato de arquivos BrOffice.org x MS-Office
Um formato de arquivo eletrônico especifica como são organizados internamente os dados (texto, figuras, tabelas, etc) e as instruções de como recuperá-las, afim de possibilitar sua exibição em um monitor de vídeo, ou enviar para uma impressora.

Padrões fechados x padrões abertos
Este formato pode ser exclusivo e considerado “segredo” de um fornecedor, ou pode ser aberto, seguindo padrões internacionais, como as normas da ISO.
No caso dos pacotes de software para aplicações de escritório (Office suites), a Microsoft adota o primeiro modelo, ou seja, um formato de arquivo fechado que só ela conhece e não divulga, já o BrOffice.org, OpenOffice.org, StarOffice, Koffice, Lotus Symphony, etc, utilizam-se de um formato aberto padronizado internacionalmente através da norma ISO/IEC 26300 e conhecido como OpenDocumentFormat, ou ODF. Esta mesma norma tem sua correspondente brasileira, a NBR ISO 26300, elaborada pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e específica para formatos de arquivos de software para escritório (texto, planilha eletrônica, slides de apresentação, gráficos vetoriais, fórmulas matemáticas e banco de dados).
Em princípio, usar um formato de arquivos da Microsoft, implica automaticamente em usar compulsoriamente um software da empresa. Ou seja, você tem que pagar para a Microsoft para poder ver e editar seus próprios dados. Na prática é um pouco diferente.
Através de processos de engenharia reversa, descobriu-se uma grande quantidade de detalhes do formato do arquivo da Microsoft, possibilitando assim, a outros softwares, tais como o BrOffice.org, poderem abrir e salvar arquivos neste formato com um bom nível de compatibilidade, que no entanto não chega a ser de 100%.
Os governos do mundo inteiro e o setor público de forma geral, iniciaram um esforço nos últimos anos no sentido de utilizar apenas padrões abertos, atendendo, assim, a princípios de preservação dos documentos públicos (como abriríamos um arquivo no formato da Microsoft daqui a 50 anos se a empresa, por exemplo, não existir mais ou não der mais suporte ao formato utilizado?) e de acessibilidade pelo cidadão a estes documentos, que no modelo fechado, para exercer seu direito, é obrigado a pagar uma taxa (adquirir o MS-Office custa mais de R$1.000,00 e pirataria é crime) a uma empresa privada para acessar documentos públicos.
Entendendo as extensões do nome dos arquivos, o formato dos arquivos, geralmente, pode ser reconhecido através das últimas três letras do seu nome, e que são separadas das demais através de um ponto. Estas últimas letras também são conhecidas como extensão ao nome do arquivo.
Tomemos como exemplo, um arquivo denominado notas_alunos.doc. A extensão doc refere-se a um arquivo que usa o formato de arquivo de texto do software Microsoft Word. Já um arquivo notas_alunos.odt, refere-se a um arquivo de texto do BrOffice.org-Writer (extensão odt). Continuando… um arquivo notas_alunos.xls refere-se a um arquivo da planilha eletrônica MS-Office Excel, ao passo que um arquivo notas_alunos.ods refere-se a um arquivo da planilha eletrônica do BrOffice.org – Calc.
A seguir um quadro relacionando os formatos de arquivos do BrOffice.org e do MS-Office:

Interoperabilidade entre os formatos da Microsoft e do BrOffice.org
Apesar do formato de arquivos da Microsoft ser fechado e sempre foi considerado “segredo”, através de técnicas de engenharia reversa, foi possível criar softwares que conseguem abrir e salvar arquivos neste formato. É certo que não há 100% de compatibilidade, havendo perdas quanto à formatação, especialmente se estivermos lidando com documentos relativamente complexos.

De forma geral podemos estabelecer os seguintes princípios:
● O MS-Office não consegue ler os arquivos gerados no formato nativo do BrOffice.org (odt, ods, odp);
● O BrOffice.org consegue ler e gravar arquivos no formato do MS-Office (doc, xls, ppt), com bom nível de compatibilidade.

O BrOffice.org pode, inclusive, ser configurado para operar diretamente com os formatos de arquivos do MS-Office, sem ser necessário recorrer ao menu Arquivo >> Salvar como…, porém, isto não é recomendado. Lembre-se! Não há 100% de compatibilidade entre os formatos dos arquivos e operar dessa forma, alternando os arquivos entre as duas aplicações, com certeza é a forma mais eficaz de “arrumar dor de cabeça” em algum momento. A recomendação é a seguinte:
● Utilize a capacidade que o BrOffice.org tem de ler os arquivos gerados pelo MS-Office, mas salve-os em seguida no formato nativo do mesmo (odt, ods, odp) e a partir daí utilize preferencialmente este formato, ou utilize o plugin Multisave para o BrOffice.org, que salva simultaneamente nos formatos doc, odf e pdf.
● Oriente os professores e demais interessados, para que sempre deem preferência ao formato aberto padrão ISO (utilizado pelo BrOffice.org), e que podem instalar o BrOffice.org de forma legal e segura, também em seus computadores pessoais mesmo que utilizem o Windows. Basta baixar o software de http://www.broffice.org/
● Oriente à quem esteja utilizando o MS-Office 2007, para que altere a configuração do programa, afim de que seja utilizado o formato doc, xls e ppt ao invés do formato docx, xlsx, pptx.

Linux educacional – Convivendo com os diferentes formatos no dia-a-dia
Infelizmente, até que todos se conscientizem da importância de usar apenas padrões abertos, teremos que conviver com a multiplicidade de formatos. Felizmente, não é necessário ser “cientista da Nasa” para gerenciar esta situação. A seguir, mostramos algumas práticas que, possivelmente, cobrem suas necessidades diárias.

Recomendações e informações finais
● Se for necessário trocar arquivos entre diferentes sistemas, e estes arquivos não precisarem ser editados, ou seja, a única finalidade é que sejam lidos ou impressos, o melhor formato de arquivo a utilizar é o PDF.
● Este tipo de arquivo é totalmente independente de sistema ou software, reproduzindo com exatidão, inclusive os diversos tipos de caracteres, mesmo que não existam no sistema aberto.
● O formato PDF também é padronizado internacionalmente (norma ISO/IEC 32000).
● O BrOffice.org já possui o recurso de exportar arquivos de qualquer de seus componentes (texto, planilha ou slides), para o formato PDF. Com o arquivo a ser exportado aberto, basta clicar em: Arquivo >> Exportar como PDF… >> Exportar >> Exportar
● Para dotar o MS-Office (e todas as outras aplicações do Windows) de recurso semelhante, pode ser instalado o software PDF Creator disponível em: http://sourceforge.net/projects/pdfcreator/. Este software é livre e gratuito, podendo ser instalado e usado livremente em qualquer local e para qualquer fim. Este software cria uma impressora virtual no Windows, de forma que, para fazer a conversão de qualquer arquivo para PDF, basta carregá-lo e mandar imprimir através do diálogo completo (Arquivo >> Imprimir >>…), escolhendo a “impressora” PDF Creator.
● Anteriormente, afirmou-se que o MS-Office não tem a capacidade de ler e gravar arquivos no formato nativo do BrOffice.org. Na verdade, isto é possível sim, desde que se instale o plugin produzido pela empresa Sun Microsystems e que está disponível em: http://www.sun.com/software/star/odf_plugin/get.jsp e serve para as versões do Ms-Office 2000, XP, 2003 e 2007. Recentemente a Oracle, que adquiriu a Sun Microsystems, passou a cobrar – muito caro – por uma cópia desse plugin, já que, para a empresa é antieconômico oferecer um plugin para um software concorrente do StarOffice – versão paga do OpenOffice.org/BrOffice.org – oferecida pela Oracle. No entanto, vale o que já foi dito anteriormente quanto à compatibilidade: ela não de 100%, embora não esteja tão longe assim desse ponto.
● Recomenda-se fortemente aconselhar a usuários do Microsoft Office 2007 que alterem a configuração do programa afim de gerar arquivos no mesmo formato do MS-Office 2003, sob pena de terem muitos problemas na troca de arquivos, inclusive com outros usuários de MS-Office de versões anteriores, e que são a ampla maioria no mercado.

fonte:
ESTADO DE SANTA CATARINA
SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL
GERÊNCIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO
NTE – Núcleo de Tecnologia Educacional
JARAGUÁ DO SUL/SC

About these ads

4 Respostas para “BrOffice.org/MsOffice – algumas perguntas frequentes”

  1. Douglas disse

    Resumindo o MS Office é uma porcaria e o BrOffice é a melhor opção para as empresas e usuários domesticos.

    • stellarium disse

      Eu sou suspeito pra dar opinião sobre isso… hehehehehe. Minha opinião pessoal é exatamente essa!

  2. Jonathan disse

    Parabêns pela matéria, estes são esclarecimentos importantíssimos prestados a comunidade. Pessoalmente me deparei com este problema de explicar sobre diferentes formatos e perdas de formatação, entre diferentes suítes de escritório. O mais difícil é fazer com que outras pessoas entendam como isso afeta a vida delas, principalmente quando estão condicionadas ao uso das suítes proprietárias, infelizmente muitos vêem na mudança muitas dificuldades. Mesmo quando são apenas readaptações de algumas funções. Mas tenho certeza que seu artigo esclarecedor deve ajudar outras pessoas, a pelo menos se interessarem em experimentar está ótima suíte de escritório.
    Uma última coisa, não sabia sobre o BrOffice seguir essas normas ISO e o nosso país ser adepto da mesma, isso é ótimo.

    • stellarium disse

      Bom dia, Jonathan.
      O Brasil, representado pela ABNT, não só é adepto, como é um dos mais proeminentes membros da comissão que normatiza os formatos de documentos abertos. O Brasil tem sido referência mundial na adoção do software livre e dos padrões abertos, servindo de exemplo e caso de estudo para inúmeras organizações e governos estrangeiros.

      Abraço.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 439 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: