O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

A coisa certa, feita do jeito errado e na hora errada!

Posted by Paulo em 03/07/2011

Artigo original disponível no blog do autor: http://lcoluiggi.wordpress.com/2011/07/03/%E2%80%9Ca-coisa-certa-feita-do-jeito-errado-e-na-hora-errada%E2%80%9D/

“A coisa certa, feita do jeito errado e na hora errada!”

03/07/2011 por lcoluiggi

New logo since Oracle acquisition, from versio...

Image via Wikipedia

A frase acima foi mencionada em um debate muito interessante e produtivo sobre o bifurcamento de parte da comunidade OpenOffice.org – OOo – com a consequente criação da The Document Foundation – TDF – que passou a produzir o LibreOffice, uma suíte de programas de escritório destinada tanto à utilização pessoal quanto profissional, compatível com as principais suítes de escritório do mercado, contendo editor de textos, planilha, editor de apresentações editor de desenhos e banco de dados, além de funcionalidades tais como: exportação nativa para PDF, editor de fórmulas científicas, extensões, etc. Volto em seguida à frase do título. Antes, uma breve explicação da situação que levou a criação da TDF.

Tudo aconteceu em setembro do ano passado. A Oracle, que havia comprado a Sun Microsystem e com isso os ativos do OOo e outros projetos da antiga empresa, deixou os desenvolvedores e demais colaboradores da comunidade com dúvidas acerca do real compromisso da Oracle com os projetos Open Source, sobretudo pela falta de transparência e comunicação. A Oracle, na verdade, é uma empresa privada que não sabe lidar com comunidades FLOSS (free/libre Open Source Software) e, pelo visto, não faz questão nenhuma disso. A reação ao descaso aparente foi a criação de um fork, ou uma derivação, ou bifurcação – todos essas palavras podem ser questionadas e guardam rancores e ressentimentos variados. O fato é que a TDF foi criada e passou a desenvolver rapidamente uma nova suíte baseada no código do OOo.

A nova suíte recebeu o nome provisório de LibreOffice, pois havia uma expectativa que a marca OpenOffice.org e também os códigos fossem doados para a TDF, o que não aconteceu como veremos. A adesão de desenvolvedores ao projeto foi massiva; uma limpeza do código foi efetuada; comentários em alemão foram traduzidos para o inglês. Novos colaboradores foram atraídos porque a TDF alterou o mecanismo de contribuições, valorizando os desenvolvedores sem se apoderar da propriedade intelectual, fazendo valer a meritocracia. Uma lista de “easy hacks” foi elaborada, cujo objetivo era apresentar o código ao novo contribuinte atribuindo-lhe tarefas fáceis, um outro atrativo encorajador. A TDF trabalhou firme nos últimos meses para melhorar a comunicação interna e externa. Criou o Comitê Diretor de Engenharia e também o Comitê Consultivo, incluindo a participação da SUSE, RedHat, Canonical, Google e Novell. E o mais importante, lançou, em oito meses, duas versões do LibreOffice.

Enquanto isso acontecia, desenvolvedores da comunidade OpenOffice.org que não aderiram à TDF, por razões pessoais ou por acreditarem no projeto inicial, sofriam com as incertezas e o silêncio sepulcral da Oracle. Mas o silêncio foi quebrado com o anúncio da doação do OOo para a Fundação Apache; uma reviravolta, que incluiu a empresa IBM e que gerou um debate sem fim no mercado e comunidades. Embora este fato seja recente – o anuncio foi feito no dia 01 de junho – muita água passou debaixo da ponte. A incubadora da Fundação Apache recebeu e aceitou o projeto; uma lista de discussão foi criada e o fluxo aumentou vertiginosamente chegando a 400 mensagens/dia demonstrando que o Apache OpenOffice.org é uma realidade.

A oportunidade de unir as duas comunidades foi perdida. A TDF lamentou o fato, a Fundação Apache só pensa em estruturar o projeto novamente para lançar a próxima versão do OOo – o que deve acontecer em seis meses, numa previsão otimista. E neste ponto volto ao título deste artigo. Por trás dessa frase há, na verdade, um posicionamento de parte da comunidade brasileira, que não aderiu ao projeto da TDF. Aliás, a comunidade brasileira é um capítulo a parte que pretendo abordar em um próximo texto.

Referências:

Marketiwire

Homembit

LibreOffice

Incubadora Apache

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 499 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: