O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Linux é imune a vírus: exemplo prático.

Posted by Paulo em 22/09/2009

broken_windowsUma das pérolas que encontramos na Internet é uma célebre frase que apareceu em um determinado fórum de discussão (se não me engano) onde um cidadão, sem noção, com certeza, declarou que não poderia confiar num sistema que não tinha nenhum antivírus. Essa declaração correu o mundo, no entanto ela trás dois enganos. O primeiro reside no fato de que o GNU/Linux é construído para não permitir operações que compromentam o sistema, sem que alguém seja avisado e dê sua autorização. Por “alguém”, entenda-se uma pessoa de carne e osso, que tenha acesso de administrador do sistema e, deliberadamente, digite sua senha de administrador. O segundo é quanto à inexistência de antivírus para GNU/Linux, pois existe o ClamAV (ou KlamAV para ambiente KDE) que, embora desnecessário em desktops, é muito útil em servidores de arquivos e de e-mail. Desnecessário na medida em que vírus são, em sua grande maioria, desenvolvidos para Windows e, literalmente, não funcionam em GNU/Linux, como vou demonstrar.

Hoje, estava conversando com uma amiga no MSN (eu estava utilizando o AMSN e ela o Windows Live Messenger). Alguns minutos depois ela precisou sair, mas deixou o MSN aberto. Após alguns minutos de inatividade, recebi a seguinte mensagem:

Mensagem "isca"

Mensagem "isca" - Clique apara umentar

Só por curiosidade, e para ter material para este post, resolvi seguir o link e obtive o seguinte resultado:

"Imagem" executável em Windows

"Imagem" executável em Windows - Clique para aumentar

Note que trata-se de um programa (extensão .exe), não de uma foto (extensão .jpg). O nome do servidor (faikgalery.fa.ohost.de) também é sugestivo (um trocadilho em inglês significando “galeria falsa”). Bom, vamos então, “inadivertidamente”, aceitar o download e instalação da “foto”:

Incompatibilidade do vírus com o GNU/Linux

Incompatibilidade do vírus com o GNU/Linux

OOPS! Note que o aplicativo que tentou abrir o vírus foi o 7zip (pois há arquivos compactados que são auto-executáveis em Windows), porém houve um problema de incompatibilidade, pois executáveis Windows não funcionam em GNU/Linux sem alguns artifícios.

Portanto, este é um exemplo de porque é desnecessário um software antivírus em Desktops e netbooks/notebooks que rodam GNU/Linux, o que aumenta a segurança pessoal do usuário, sem a necessidade dele estar familiarizado (leia-se “aprendizado e treinamento”) com softwares como antivírus, antispyware, firewall, etc.

Alguém pode argumentar que, se o computador tiver um Wine (software utilizado para rodar executáveis Windows em GNU/Linux), o vírus será instalado. Sim, é possível que sim. Entretanto, o vírus apenas estaria rodando no ambiente Wine e poderia infectar apenas aplicativos Windows que estivessem rodando no mesmo ambiente e com o mesmo usuário. Os aplicativos nativos do GNU/Linux estariam imunes, bem como qualquer arquivo pessoal do usuário, e também qualquer aplicativo (Windows ou Linux) de qualquer outro usuário.

Abraço e até a próxima.


Bookmark and Share

Uma resposta to “Linux é imune a vírus: exemplo prático.”

  1. […] Linux é imune a vírus […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: