O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Projeto Cauã V0.5

Publicado por Paulo em 25/09/2011

Fonte: Coluna do Maddog, Linux Magazine Brasil Edição 82, Setembro 2011, Página 28.

Colaboração: John Maddog Hall

Data de Publicação: 23 de setembro de 2011

O que você faria se tivesse uma ideia capaz de criar quatro milhões de novos empregos de tecnologia, reduzir a quantidade de energia utilizada pelos computadores, fazer os sistemas mais fáceis de serem usados, reduzir a quantidade de lixo despejada no ambiente, oferecer redes sem fio gratuitamente para as pessoas e criar um enorme supercomputador para universidades e negócios, de graça ou quase de graça, para projetos que precisam de uma grande quantidade de processamento de CPU, fazendo tudo isso com dinheiro do setor privado de uma forma que seja autossustentável?

Em tempos de grande desemprego e tensões governamentais, você manteria essa ideia para si mesmo no desejo de ganhar dinheiro, ou a divulgaria publicamente de qualquer maneira?

Venho trabalhando no Projeto Cauã por mais de cinco anos. Ele começou com a reminiscência dos “bons e velhos tempos”, quando a equipe local de suporte estava sempre ao alcance e tudo o que você tinha que fazer era usar o software com o qual trabalhava todos os dias. Você não tinha que se preocupar com backups, instalações ou lutas contra vírus, porque outra pessoa era paga para fazer isso. Conheço muitas pessoas que pararam de usar software livre e foram para Windows ou Apple dizendo que queriam algo que “funcionasse”, ou que “não tinham tempo para brincar com o software livre na tentativa de fazê-lo funcionar”. Ficariam elas longe do software livre se tivessem acesso a alguém que pudesse instalar o sistema, mantê-lo atualizado e garantisse a existência de espaço em disco, poder de processamento e o sistemas livre de vírus para mantê-lo funcionando? E se essa pessoa estivesse fisicamente tão próxima, que você poderia alcançá-la com alguns minutos de caminhada de forma que você pudesse sentar com ela, contar seus problemas e obter a resposta?

E se esse técnico em questão fosse autônomo e vendesse não somente os serviços de consultoria para você, mas também o poder de computação, a infraestrutura de rede e o software necessário para tocar a residência ou a empresa da melhor maneira possível, por menos dinheiro do que você paga hoje? E se você nunca tivesse que se preocupar com a obsolescência do seu sistema?

Após trabalhar nesse problema por três anos sozinho, um amigo e empresário brasileiro, Douglas Conrad, da OpenS Tecnologia, me escreveu e disse que meu plano poderia funcionar, e que deveríamos refiná-lo, documentá-lo e tentar um financiamento do governo para o projeto. Por dois anos cansamos de buscar esse financiamento, e todas as vezes ouvimos que “era interessante, mas…”.

Durante esse tempo, refinamos o hardware, esperando por elementos que estavam “quase chegando” como o USB 3.0 e CPUs de baixíssimo consumo e alto poder gráfico. Douglas também usou alguns dos sistemas protótipos para construir seu próprio sistema de entretenimento doméstico, o qual surpreendia seus amigos quando eles o visitavam.

Dessa vez, listamos outros parceiros. Formamos uma comissão de diretores formada por empresários com diferentes experiências em treinamento, hospedagem web e consultoria – todos especialistas em software livre. Fizemos um acordo com a Universidade de São Paulo, com a intenção de que eles projetassem um thin-client unicamente utilizando componentes abertos para então licenciá-lo para empresas que queiram fabricá-lo dentro do Brasil. Começamos também a buscar parceiros do mundo hispânico para replicar o programas piloto no Brasil para países de fala espanhola.

A mudança de governo, de Lula para Dilma Rousseff, fez com que nossos planos ficassem mais lentos. Embora a gente não precise de dinheiro do governo para tocar o projeto e sustentá-lo, precisamos que o governo de cada país entenda e aprove o que estamos fazendo. Felizmente, a presidente Dilma manteve e fortaleceu diversos dos programas progressistas que o ex-presidente Lula iniciou e, agora, temos contatos em seu governo e uma indústria que está trabalhando conosco.

Agora estamos conseguindo avançar e, embora o Projeto Cauã não seja entregue de acordo com sua visão original, lançaremos o Projeto Cauã V0.5, que fará uma prova de conceito sobre o que definimos originalmente. Vamos ajudar administradores de sistemas certificados em LPI a iniciarem seus próprios negócios para vender e oferecer suporte à sistemas baseados no Projeto Cauã.

Convidamos a comunidade de software livre a se juntar a nós e ajudar a responder a pergunta que me fiz há muito tempo: “como fazer dinheiro com software livre”?

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 439 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: