O Futuro é a Liberdade

Discussões sobre Software Livre e Sociedade

Posts Tagged ‘Microsoft’

Folha de São Paulo: Governo vai barrar compra de software que impeça auditoria

Posted by Paulo em 06/11/2013

Extraído do original disponível em http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/11/1366863-governo-vai-barrar-compra-de-software-que-impeca-auditoria.shtml

A partir do ano que vem, o governo não comprará mais computadores ou softwares que não permitam auditoria pelo próprio poder público. A nova norma deve ser publicada hoje no “Diário Oficial da União”.

… a intenção não é promover uma troca massiva de aparelhos e programas, mas impedir que eles continuem sendo comprados sem o atendimento às novas exigências.

Dessa forma, haverá uma substituição gradual de programas tradicionais por softwares livres, como o Linux, caso não haja negociação com as grandes empresas.

O governo considera que, além de aumentar a segurança, a medida trará economia. O uso de softwares livres encerra a obrigação de pagar as licenças dos programas.

o governo estima que outra medida de segurança adotada na área de informática -a determinação da presidente Dilma Rousseff de adotar o e-mail brasileiro Expresso (Expresso Livre), do Serpro, como padrão em toda máquina pública, substituindo o Outlook, da Microsoft -vai gerar uma economia superior a R$ 60 milhões/ano.

 

Posted in Aplicativos, Apple, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Hardware, Legislação, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Por que não uso Windows em meus computadores

Posted by Paulo em 09/09/2013

Muito legal essa apresentação do Sérgio Amadeu:
Mas a pior parte ele não contou. Há alguns anos eu vi um estudo de vulnerabilidade do Windows XP. Nesse estudo, dizia-se que um Windows XP recém instalado, conectado diretamente à internet sem um roteador (apenas o modem), e nenhum software adicional anti-pragas, durava cerca de 30 segundos em uma conexão sem ser invadido e ter algo nefasto instalado nele.
Na semana retrasada publiquei a notícia que vazou do governo alemão sobre a portas dos fundos no Windows 8 que a M$ entregou de bandeja pra NSA:
E na semana passada, meu comentário sobre o último vídeo do Anonymous:
Agora juntem as peças e pensem:
1- Vocês acham mesmo que essa enorme quantidade de vírus existentes para Windows (na casa das dezenas de milhões) são fruto de “mentes criminosas” atrás de dinheiro?
2 – Vocês acham mesmo que colocar um “worm” em milhares de máquinas Windows pra fazer ataques de negação de serviço a grandes sites é coisa de hackers de garagem?
3 – Vocês acham mesmo que “criminosos atrás de dinheiro” ficariam escaneando enormes quantidades de endereços IP pra descobrir que uma máquina possui Windows e está sem proteção pra poder invadir? Não seria mais fácil o próprio sistema recém instalado avisar aos “criminosos” que estava no ar?
Pensem bem.

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Microsoft, Software, Software Livre, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

Exemplo de como as notícias são manipuladas: o caso da ciber-pirataria no Pentágono

Posted by Paulo em 30/05/2013

O vídeo abaixo, de autoria do Infowars.com, mostra bem didaticamente como cada cidadão pode filtrar e entender as entrelinhas das notícias que saem na grande mídia e na mídia alternativa.

Recentemente, o Pentágono informou que um grande número de informações sobre as principais armas utilizadas pelos EUA foi roubada por ciber-espiões chineses. Dois canais de notícias, o rt.com representando a mídia alternativa, e o Washington Post representando a grande mídia corporativa apresentaram a mesma notícia de formas completamente diferente. Leia o resto deste post »

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Hardware, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

Linuxers espanhóis processam a Micro$oft – É isso que tinha de acontecer aqui

Posted by Paulo em 19/05/2013

Via Linkedin:

http://www.techweekeurope.co.uk/news/linux-users-in-spain-file-an-official-complaint-against-microsoft-111512?goback=%2Egde_27258_member_236384889

Tradução:

Usuários de Linux na Espanha Entram com Ação na Justiça Contra a Microsoft

A Hispalinux exige uma investigação sobre o protocolo UEFI Secure Boot no Windows 8

Publicado em 27 de Março de 2013 por Max Smolaks

Membros da Hispalinux, uma organização espanhola que reúne cerca de 8 mil usuários de Linux e GNU, entraram com uma ação na justiça na Comissão Europeia (EC), reclamando que a Microsoft está impedindo os usuários de mudarem para o Linux ou outro sistema operacional com a tecnologia UEFI Secure Boot no  Windows 8

Em resposta, a gigante de software norte-americana argumentou que o UEFI Secure Boot é simplesmente uma tecnologia de segurança, mas prometeu cooperar com qualquer investigação.

No início do mês, a Microsoft foi obrigada a pagar €561 milhões (R$1.469,82 milhões) por não cumprir com um acordo de 2009 que exigia que fosse dada liberdade de escolha de navegadores no Windows 7.

Já não passamos por aqui antes?

A Hispalinux é uma organização sem fins lucrativos fundada em 1997. Da acordo com a Reuters, na Terça-feira o líder do grupo Jose Maria Lancho apresentou uma reclamação de 14 páginas no escritório espanhol da EC, na qual ele chama o UEFI Secure Boot do Windows 8 de “mecanismo de obstrução”, desenhado para impedir os usuários de mudar para um sistema operacional alternativo. Leia o resto deste post »

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Hardware, iniciante em Linux, instalação do Ubuntu, Legislação, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Bill Gates e as “trilhas químicas” na atmosfera.

Posted by Paulo em 05/12/2012

Tratadas como mais uma “teoria conspiratória”, as trilhas químicas (chemtrails), partículas químicas pulverizadas há anos na atmosfera por aviões agora são, não só admitidas, mas contam com o apoio e financiamento de pessoas como Bill Gates. Agora, além de inundar o mercado de tecnologia com tóxicos como Microsoft Windows, Microsoft Office, Microsoft Skype, etc., ele agora quer inundar a nossa atmosfera com produtos tóxicos para “ajudar a deter o efeito estufa”. Não acredita? Veja a reportagem original em http://www.naturalnews.com/036583_geoengineering_Bill_Gates_global_warming.html

A tradução está abaixo:

Image representing Bill Gates as depicted in C...

Image via CrunchBase

Bill Gates financia esquema artificial para “resfriar o planeta” pulverizando partículas de enxofre na atmosfera

Quarta feira, 25 de Julho de 2012 por: Ethan A. Huff, staff writer
(NaturalNews) Geo-engenheiros estão finalmente saindo do armário das trilas químicas, ao mesmo tempo que relatórios revelam planos deliberados em andamento para espalhar um enorme quantidade de sulfatos químicos na atmosfera com o propósito de combater o chamado “aquecimento global.”

O  The Guardian da Inglaterra e outros jornais estão relatando que um fundo de pesquisa multimilionária, que aparentemente foi iniciado e financiado pelo fundador da Microsoft e entusiasta das vacinas Bill Gates, está sendo usado para apoiar o projeto. Um enorme balão flutuando a 27 mil metros sobre Fort Sumner, Novo México, liberará os sulfatos na atmosfera no próximo ano.

A proposta da liberação de uma enorme quantidade de partículas de sulfato tóxicas é que supostamente refletiria a luz do Sol para fora da atmosfera, portanto, resfriando o planeta. Mas muitos grupos ambientalistas e defensores do senso comum estão alegando que a ideia é perigosa, e que poderia resultar em danos permanentes ao ecossistema ao redor do globo.

“Os impactos incluem um potencial para mais danos na camada de ozônio, e quebra no ciclo das chuvas, particularmente nas regiões tropical e subtropical, potencialmente ameaçando o suprimento de comida de bilhões de pessoas,” disse Pat Mooney, Diretora Executiva do Grupo ETC, um grupo canadense de proteção ambiental.
Leia o resto deste post »

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação | Etiquetado: , , , , , , , , | Leave a Comment »

Pesquisa sobre Tecnologia e Educação

Posted by Paulo em 20/11/2012

Estou terminando minha pós-graduação em Docência no Ensino Superior na FAE de Curitiba. Nosso Trabalho de Conclusão de Curso é uma pesquisa sobre conhecimentos de professores e alunos a respeito de padrões e recursos tecnológicos que podem ser aplicados à educação.

Se você é estudante universitário (graduação e pós-graduação), ou professor (principalmente de áreas NÃO relacionadas à tecnologia de informação), e puder nos ajudar respondendo a um pequeno questionário que tomará cerca e 5 minutos do seu tempo, ficaremos muito agradecidos, e sua colaboração será muito importante para o nosso trabalho.

Assim que estiver pronto, o trabalho será disponibilizado para download neste blog e poderá ser útil para definir programas de treinamento e capacitação tecnológica para docentes.

O questionário está no endereço Pesquisa Tecnologia e Educação (http://www.varekai.org/tecnologia-e-educacao/limesurvey/index.php/survey/index/sid/273349/lang/pt-BR)

Agradeço desde já o apoio.

Abraços.

Posted in Apache OpenOffice, Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Dropbox, Escritório Livre, Fedora, Hardware, iniciante em Linux, Legislação, LibreOffice, Linux Mint, Linuxacessível.org, Livros e Treinamentos, Mandriva, Microsoft, Netbooks, ODF, OpenOffice.org, Política, Smartphones, Software, Software Livre, Tablet PC, Ubuntu Linux, Virus, Wireless | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Os Prisioneiros da Micro$oft

Posted by Paulo em 10/11/2011

Este texto foi publicado originalmente na Revista A Rede, ano 7, n.74, Outubro 2011

Sérgio Amadeu da Silveira

Em 2007, o presidente da Microsoft do Brasil procurou o embaixador norte-americano em Brasília para acusar o governo brasileiro de fazer uma campanha mundial pela consolidação de um padrão aberto, o chamado Open Documento Format (ODF) . O relato do encontro faz parte dos documentos encontrados no CableGate, os vazamentos de mensagens trocadas entre o governo norte-americano e suas embaixadas, divulgados pelo Wikileaks.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Legislação, LibreOffice, Microsoft, OASIS, ODF, OpenOffice.org, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

O Deus do Dinheiro – Malvados

Posted by Paulo em 28/09/2011


Bem vindo ao mundo do software proprietário.

Créditos: Malvados – http://www.malvados.com.br/

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Humor, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, ODF, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Como a Microsoft manipula governos para atingir seus interesses corporativos

Posted by Paulo em 09/09/2011

Logo used by Wikileaks

Esclarecedor artigo de Jomar Silva, um dos representantes brasileiros no OASIS, sobre as revelações do Wikileaks a respeito das manobras da empresa para evitar que a ABNT adotasse o padrão ODF como norma para um padrão aberto de documentos.

Artigo original disponível em http://homembit.com/2011/09/sobre-o-ataque-da-microsoft-a-soberania-nacional-wikileaks-microsoft-odf-e-openxml.html

Há alguns dias fomos todos surpreendidos com um documento encontrado no CableGate, trocado entre a embaixada norte americana no Brasil e o Governo Norte Americano em 2007. De acordo com este documento, a Microsoft fazia gravíssimas acusações contra o governo brasileiro, e apesar de ter se feito de ‘tolinha’ pelo relato da reunião, pedia indiretamente uma intervenção do Governo Norte Americano para frear o avanço do ODF no Brasil, conseguir o apoio brasileiro para a aprovação do OpenXML na ISO, frear a parceria entre o comitê técnico brasileiro e demais comitês internacionais que discutiam o padrão, reduzir a influência do Brasil no debate internacional sobre o OpenXML, além de acusar o Ministério das Relações Exteriores e a Casa Civil de estarem executando uma campanha anti-americana. Pior do que isso, insinuam ainda que o ODF é um padrão anti-americano !

Eu estava envolvido até o pescoço com tudo isso naquela época e tenho aqui todos os detalhes de bastidores que causaram esta reunião entre a Microsoft e o Embaixador Americano e posso afirmar categoricamente: Foi SIM um pedido velado de intervenção.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Legislação, LibreOffice, Microsoft, OASIS, ODF, Política, Software, Software Livre, Wikileaks | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Wikileaks: Microsoft recorreu à diplomacia americana para barrar a adoção do ODF no Brasil.

Posted by Paulo em 07/09/2011

Artigo original disponível em:

http://www.arede.inf.br/inclusao/component/content/article/106-acontece/4647

Wikileaks: Microsoft recorreu à diplomacia americana para barrar a adoção do ODF no Brasil.

06/09/2011

Entre 2007 e 2008 houve uma disputa, no Brasil, em torno de qual formato de documentos a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) iria adotar como norma para os documentos eletrônicos no país. De um lado da disputa estava o padrão ODF (Open Document Format), um formato aberto e público. Do outro, o padrão OXML, proposto pela Microsoft para garantir a compatibilidade com os formatos anteriores usados por seus programas, como o Word e o Excel.

A ABNT escolheu o ODF e a versão final da tradução da norma ISO/IEC 26300 foi aprovada em 2008. Esta aprovação era o último passo para a adoção do ODF como Norma Brasileira. Antes disso, porém houve uma enorme briga de bastidores na qual a Microsoft tentou fazer prevalecer seu padrão. Um dos 251 mil despachos das embaixadas americanas em todo o mundo, vazados pelo Wikileaks, mostra como o presidente da Microsoft, Michel Levy, recorreu ao embaixador americano no Brasil e argumentou em favor de sua posição, acusando o governo brasileiro de ser “anti-americano” e contrário à propriedade intelectual e os royalties.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, LibreOffice, Microsoft, OASIS, ODF, OpenOffice.org, Software, Software Livre, Wikileaks | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Eu sou pirata, e você?

Posted by Paulo em 24/08/2011


CPBR11 – (Software livre) Sim, Eu sou um pirata e você? #CPBR11

Esta palestra pretende levantar uma discussão sobre a ética e os direitos do cidadão. Pretende definir de forma bem clara, o que realmente é ou pode ser considerado crime, e o que é direito seu, e que corporações e associações visando unicamente seu beneficio próprio e manutenção de seus domínios, se utilizam da imprensa, de governos e de todo tipo de artifício, para subverter direitos dos cidadãos.

Palestrante:

Alberto José Azevedo — Cursou Tecnologia da Informação no CEFET-PR e possui mais de 14 anos de experiência em TI. É lider do projeto Security Experts Team e atua como Consultor de Segurança em todo o Brasil.

Posted in Aplicativos, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Filmes, História, Legislação, Microsoft, OASIS, ODF, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Patentes de Software Desestimulam o Progresso, Mostra James E. Bessen da Universidade de Boston

Posted by Paulo em 27/06/2011

Android robot logo.

Imagem via Wikipedia

Artigo original em inglês disponível em http://techrights.org/2011/06/26/bessen-on-swpats/

Patentes de Software Desestimulam o Progresso, Mostra James E. Bessen da Universidade de Boston.

Publicado em 26/06/2011 às 11:49 por Dr. Roy Schestowitz

Resumo: Mais pesquisas demonstram o que sempre tivemos certeza — que as patentes de software são uma contribuição negativa e mais provas apareceram depois que a Apple aumentou a pressão sobre a extorsão que tem feito sobre o Android (Linux).

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, Apple, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Google Android, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

11º dia: Avaliando o LibreOffice como alternativa ao Microsoft Office

Posted by Paulo em 20/06/2011

Artigo original em inglês disponível em http://blogs.computerworld.com/18466/day_11_weighing_libreoffice_as_a_microsoft_office_alternative

Tradução de Paulo de Souza Lima

11º dia: Avaliando o LibreOffice como alternativa ao Microsoft Office

Por Tony Bradley, PCWorld

Bem vindo de volta. Para o post de hoje da série “30 Dias com o Linux Ubuntu”, vou dar uma olhada no LibreOffice — o pacote de produtividade de código aberto que vem instalado por padrão no Linux Ubuntu. Eu examinei como ele funciona, comparado ao Microsoft Office, e com minha experiência no último mês “Usando o Google Docs por 30 Dias”.

Antes de começarmos, no entanto, há algumas coisas que eu gostaria de esclarecer. Primeiro — Eu passei mais ou menos uma década usando o Microsoft Office, e trinta dias usando o Google Docs. Meu exame do LibreOffice é só uma faceta da minha experiência mais ampla com o Linux Ubuntu, portanto, não terá o mesmo nível de detalhes. Ou seja, o fato de que eu esteja escrvendo sobre o LibreOffice hoje não implica em que eu tenha começado a utilizá-lo hoje, ou que hoje seja a soma total da minha experiência com o LibreOffice.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, LibreOffice, ODF, OpenOffice.org, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Adeus Skype – Os 3 melhores substitutos livres

Posted by Paulo em 16/05/2011

Com a compra do Skype pela Microsoft, e as incertezas sobre a continuidade de versões do programa para uso em Linux, muitas pessoas estão procurando por substitutos para a ferramenta.

O post abaixo foi traduzido do Ostatic (http://ostatic.com/blog/bye-bye-skype-top-3-free-replacements) e apresenta 3 alternativas livres para o Skype. Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

A Revolução não será Licenciada

Posted by Paulo em 08/03/2011

Artigo original em inglês disponível em http://torrentfreak.com/the-revolution-will-not-be-properly-licensed-110304/?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Torrentfreak+(Torrentfreak)

The Pirate Bay logo

Image via Wikipedia

Está em todo lugar. Grandes empresas tentando obter o controle de nossas ferramentas de comunicação, alegando preocupações com com direitos autorais. Com frequência, elas têm a ajuda de políticos pouco amigáveis, que aspiram pelo mesmo tipo de controle, alegando preocupações com o terrorismo ou alguma outra palavra MaCarthista da moda, que evoque o medo. Deveríamos observar isso pela perspectiva das revoltas que ocorrem, neste momento, no mundo árabe.

Temos, hoje, a SonyBMG obtendo controle a nível de administrador de milhões de computadores de seus clientes para evitar a simples cópia de música. Autoridades européias obrigando facilidades de escuta telefônica em todos os equipamentos de telecomunicações. Fabricantes de veículos instalando chaves de destruição remota. A Microsoft incorporando o mesmo tipo de chaves de destruição em seus softwares, assim como a Apple e a Google fazendo o mesmo em nossos telefones. A Intel incorporando as mesmas chaves de destruição nos processadores. A Amazon apagando livros de nossas bibliotecas virtuais.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, Apple, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, Firefox, Go-OO, Google Android, Google Chrome OS, Hardware, História, iniciante em Linux, Intel Moblin, Jolicloud, Legislação, LibreOffice, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Modem 3G, Mozilla Firefox, Netbooks, OASIS, ODF, OpenSUSE, pasl.net.br, Revista BrOffice.org, revista espírito livre, Revista Espírito Livre, Scientific Linux, Slackware, Slackware, Smartphones, Software, Software Livre, Tablet PC, Ubuntu Linux, Uncategorized, Wikileaks | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Bing é pego copiando resultados de busca do Google

Posted by Paulo em 01/02/2011

Essa é a inovação que a Microsoft sempre fez!!!

Do original em inglês disponível em:

http://downloadsquad.switched.com/2011/02/01/bing-caught-copying-search-results-from-google/

por Sebastian Anthony em 1 de Fevereiro de 2011


Em uma caso de espionagem na Internet que faz com que as antigas operações com espiões duplos da Guerra Fria pareçam brincadeira de criança, o Bing foi surpreendido roubando resultados de busca do Google com a barra de pesquisa do Bing e com a funcionalidade de Sites Sugeridos do IE8.

O Google começou a suspeitar do jogo sujo em Maio de 2010. Em Outubro de 2010, com os resultados do Bing tomando uma aparência parecida demais com os resultados do Google, eles decidiram que alguma coisa tinha de ser feita a respeito — e então, na verdade, no melhor estilo nerd, o Google montou uma armadilha para provar que a Microsoft estava, realmente, por trás de toda a “semelhança” de resultados entre as duas ferramentas.

O Google injetou resultados “sintéticos” na sua ferramenta de busca — filas falsas e resultados que nenhum usuário ou ferramenta de busca real poderiam gerar. Então, no dia “D”, 17 de Dezembro, cerca de 20 engenheiros do Google foram solicitados a rodar as filas de teste com o Internet Explorer 8, a barra de pesquisa do Bing e com os Sites Sugeridos. Em 31 de Dezembro, alguns desses resultados falsos começaram a aparecer no Bing. Veja abaixo os exemplos depois da armadilha ter sido disparada — é deprimente.

Para ver uma discussão completa das artimanhas do Bing, e quais consequências a Microsoft pode ter de enfrentar, leia o artigo original A Terra das Ferramentas de Busca (em inglês).

Um dos resultados “falsos” do Google

Poucos dias depois, o mesmo resultado no Bing
[Imagens copiadas sem a menor cerimônia do A Terra das Ferramentas de Busca]

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, Microsoft, Mozilla Firefox, Netscape, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Estados Unidos “ajudaram” o Brasil na criação da lei da Internet (AI 5.1)

Posted by Paulo em 11/12/2010

Logo used by Wikileaks

Image via Wikipedia

Segundo um dos “cables” divulgados pelo Wikileaks, o Governo dos EUA “auxiliaram” na criação do Projeto de Lei PL 84/99, também chamado de AI 5 digital, recentemente aprovado na Câmara dos Deputados e aguardando votação no Senado Federal.

Abaixo, a tradução do texto do Item 12 do “cable” 08BRASILIA823, classificado como “Confidencial” e emitido em 16 de Junho de 2008 às 12:12:00, pela Embaixada dos EUA em Brasília.

————————————
Cooperação em Crimes Digitais
————————————

¶12. (U) Auxiliar o Brasil na criação de uma legislação contra crimes digitais, incluindo pornografia infantil online, e rastrear criminosos sexuais representa outra área potencial de cooperação em questões de reforço das leis. O Brasil carece de uma legislação contra crimes digitais e o Congresso abriu uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para olhar para essa questão e criar um rascunho da lei. Como parte dos trabalhos da CPI, os parlamentares tiveram acesso a mais de 3000 registros do Google de pornografia infantil que foi distribuída na Internet a partir do Brasil. O presidente da CPI manifestou sua preocupação a respeito do que, na sua visão, considerou como uma cooperação inadequada do Google e de sua subsidiária Orkut, um site de relacionamentos. O Google, o Orkut, a MICROSOFT, e todos os outros provedores de Internet estão sendo solicitados que relatem a descoberta de pornografia infantil na Internet e o DHS/ICE estabeleceu um mecanismo para ter acesso a essas informações. O DHS/ICE já iniciou a prática de compartilhar suas informações com a Polícia Federal Brasileira. Com relação à CPI, seu presidente fez questionamentos à Missão a respeito do caso

BRASILIA 00000823 004 OF 006

que trata da deportação de um oficial da DHS/ICE acusado de exploração infantil em um hotel no Brasil. Os EUA estão buscando a pena mais dura possível, tanto no Brasil como nos EUA, e está cooperando totalmente com as autoridades brasileiras.

Posted in Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, Wikileaks | Etiquetado: , , , , , , , | Leave a Comment »

Mensagem para os jovens…

Posted by Paulo em 02/12/2010

Eu tenho mais ou menos 25 anos de profissão. Sou técnico em eletrônica, e trabalhei metade da minha carreira na área de telecomunicações e a outra metade na área de TI, e por vezes, trabalhei na linha divisória entre as duas áreas. Eu tive meus primeiros contatos com computadores por volta de 1984, rodando simuladores de vôo em computadores TK-82 (processadores Z80 com 4kbytes de memória), que vinham em fitas k7, ou em DGT1000, nos laboratórios do CEFET-MG, programando Z80 em Assembler. Pouco depois, eu era um dos raros profissionais de BH que tinha um curso do Intel 8086/8088, e isso me garantiu a oportunidade de ser um dos poucos, na época, com a competência técnica para reparar computadores PC-XT a nível de componente. Sim, eu consertava placas mãe e controladoras com um multímetro e um osciloscópio, além de vários disquetes de teste. Eu também fazia alinhamento de drivers de disquete, consertava impressoras e todo tipo de equipamento que quase ninguém conhecia, como terminais VT-100, cujo maior problema eram as portas seriais RS-232 que queimavam com frequência. Na época em que me formei, não existiam cursos de informática, cursos de graduação em “TI” e coisas assim. Nós aprendemos tudo na prática.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Legislação, Microsoft, OASIS, ODF, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Como andam o ODF e o OpenXML?

Posted by Paulo em 01/12/2010

Artigo original de César Taurion disponível em https://www.ibm.com/developerworks/mydeveloperworks/blogs/ctaurion/entry/status_atual_do_odf_e_openxml?lang=en

Status atual do ODF e OpenXML

Outro dia, almoçava com um amigo que me perguntou:- Como vão as coisas com o ODF aqui no Brasil? Parece que estão meio paradas…

Realmente, o assunto “padrão aberto de documentos” saiu do noticiário da mídia especializada, embora continue muito importante.

A cada dia, geramos mais e mais documentos eletrônicos. Provavelmente, nos próximos cinco anos geraremos tantos documentos digitais quantos foram gerados nos últimos 25 ou 30 anos. Adotar um padrão aberto para documentos é essencial para governos. Governos precisam compartilhar informações entre os seus diversos órgãos sem ter que se preocupar com incompatibilidades entre os formatos de documentos. Os governos tem que garantir a integridade e perpetuidade dos seus documentos, que são a memória da nação, mesmo após o software que o criou ter desaparecido do mercado. Documentos podem existir por dezenas ou centenas de anos. O mesmo não deverá acontecer com os softwares que compõem uma suíte de escritório. A adoção de um padrão aberto, baseado em XML, garante que mesmo sem o software original, o documento continuará sendo acessado. Além disso, os governos também tem que garantir que uma informação pública seja acessada por qualquer produto de software, sem impor aos cidadãos a obrigatoriedade de uso de um determinado software.

Mas o que é um padrão aberto? É um padrão independente de fornecedor (não pode ser controlado por nenhuma empresa ou pessoa), publicado de forma aberta, sem restrições de licenciamento e pagamentos de royalties, não aprisionando o usuário a uma única plataforma.

Um padrão aberto é fundamental para o nosso mundo globalizado e interligado. Os países, empresas e os cidadãos interoperam uns com os outros e, para que esta interoperabilidade aconteça. é absolutamente necessário que todos estejam de acordo com a forma desta interoperabilidade ocorrer. Ou seja, quanto mais padronizados forem os mecanismos de interoperabilidade, menos esforço vai demandar para criarmos interfaces de interoperação e mais rápida e ágil ocorrerá a comunicação. Simples assim. Aliás, sem padrões abertos simplesmente não teríamos a Internet!

Padrões abertos tornam possível que quaisquer empresas, cidadãos e países se plugem no mundo globalizado. Com padrões abertos, produtores podem colaborar e cooperar nos interfaces e inovar e competir em outras funcionalidades. Por outro lado, padrões proprietários criam barreiras econômicas, pois exigindo pagamento de royalties (e muitas vezes um padrão proprietário embute diversas tecnologias patenteadas, com royalties acumulados), encarecem os produtos e dificultam a competitividade.

Neste contexto, muitos governos já adotaram ou estão em via de adotar o ODF (Open Document Format) como seu padrão aberto de documentos. Mas ainda vemos muita confusão e desinformação sobre esta questão, principalmente pelo surgimento de um padrão alternativo, o OpenXML, proposto pela Microsoft.

Este padrão foi proposto inicialmente como uma forma de preservar o espaço criado pelos formatos proprietários da suite Office, diante das demandas dos governos por padrões abertos, que começavam a voltar sua atenção ao ODF. Para tornar o OpenXML aberto, seria fundamental que ele fosse aceito pela ISO (Organização Internacional de Padrões). Depois de muitos debates e discussões, cujo histórico pode ser visto na coletânea de posts sobre o assunto em http://www.smashwords.com/books/view/2969, a Microsoft concordou em criar duas classes de conformidade. Uma delas, chamada de “Transitional”, incluia componentes que dependiam diretamente de recursos disponíveis exclusivamente no sistema Windows, e que seria adotada como meio de facilitar a transição dos documentos legados, em formato proprietário, para o padrão aberto. Esta classe de conformidade deveria ser usada, portanto, apenas para a migração e não para a criação de novos documentos. A outra classe, “Strict”, satisfazia as demandas da ISO e o OpenXML, foi então aprovada como padrão aberto pela entidade, como ISO/IEC 29500, em março de 2008.

Mas como estão as coisas agora, em 2010? O ODF está sendo adotado por governos de vários países do mundo, inclusive Brasil. O OpenXML, por sua vez, é implementado por um conjunto de versões diferentes, o que gera incompatibilidade e riscos de preservação  e acessos futuros aos documentos. Vejamos:

a)    A versão originalmente proposta do OpenXML, chamada de Ecma 376, foi rejeitada pela ISO. É uma versão que contém muitos componentes altamente dependentes do Windows e portanto não pôde se considerada um padrão aberto. O usuário desta versão está preso ao Office da Microsoft.

b)    A versão “Transitional” não deve ser usada para gerar novos documentos e é interessante que nem mesmo os produtos Office 2007 e 2010 da Microsoft conseguiram implementar todas as especificações desta versão. Aliás, o Office 2010 implementa uma versão extendida do “Transitional”, com extensões proprietárias que não estão incluídas nas especificações aprovadas pela ISO.

c)    A “Strict” é a que deve ser usada para gerar novos documentos. Mas nem mesmo o Office 2010 consegue gravar arquivos nesta versão. Na prática, ao não implementar a “Strict” e criar extensões proprietárias à “Transitional”, a Microsoft mantém sua estratégia de padrão fechado, embora agora com uma camada de verniz para ser chamado de “aberto”.

Muito bem, voltando à pergunta original, minha recomendação é que as empresas e governos continuem adotando o padrão ODF e fiquem alertas para não adotarem o OpenXML em uma versão que não seja a “Strict”.

Posted in Aplicativos, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Go-OO, Legislação, LibreOffice.org, Microsoft, OASIS, ODF, OpenOffice.org, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

O maior obstáculo na adoção do FOSS e do GNU/Linux

Posted by Paulo em 20/11/2010

Esse post não é meu. É de um blogueiro indiano chamado Narendra Sisodiya http://blog.narendrasisodiya.com/. O post abaixo retrata as dificuldades de várias entidades e de muitos usuários comuns quando tentam migrar para o GNU/Linux e o FOSS, e mostra algumas das iniciativas indianas para promover a sua adoção.

Tradução do original disponível em http://blog.narendrasisodiya.com/2010/11/biggest-hurdle-in-fossgnulinux.html

The biggest hurdle in FOSS/GNU/Linux adaptation

Deixem-me falar sobre a maior dificuldade na adoção do Software Livre.
Esse obstáculo são os “Drivers Proprietários de Hardware“.
Na Índia recenttemente aprovamos uma “Política de Padrões Abertos”. É uma grande vitória para as comunidades de  Software Livre e nossos líderes.
Da mesma forma, precisamos de uma política de venda de Hardware. Essa política deve especificar que “Qualquer hardware que o governo compre deve ter uma especificação de drivers aberta.”

Por que isso é importante ?

Deixem-me explicar através de um exemplo.
Uma escola da minha cidade comprou um hardware a um ano atrás. Na época da compra, eles não conheciam o Linux. Agora, mesmo que queiram migrar para o Linux, ele precisam contratar uma consultoria para isso. Isso porque muitos dos dispositivos de hardware têm uma certa dificuldade de funcionar com o GNU?Linux, isso porque o GNU/Linux não possui os drivers proprietários desses dispositivos. Por exemplo, algumas webcams não funcionam no GNU/Linux, ou a maioria dos lousas interativas, que são uma tendência nas escolas, etc.

Estimados defensores do Software Livre, vocês precisam se lembrar que vocês podem visitar uma escola, ou universidade, e tentar instalar o GNU/Linux, MAS, vocês não podem alterar o hardware de um sistema. Temos de ter uma política clara que especifique que diga: “todo dispositivo deve ter uma especificação ou drivers disponíveis para todos os sistemas operacionais do mercado”.

Precisamos seriamente criar uma lista negra de drivers proprietários e de hardware e impedir sua comercialização.
Hardware proprietário é um monopólio tão perigoso quanto, ou mais do que o software proprietário.Aqui está uma lista das coisas perigosas e antiéticas:

Patentes de software       (O maior perigo)
Drivers e Hardware proprietário
Padrões proprietários
Software proprietário      (o menor perigo dessa lista)

O motivo de pelo qual dei uma classificação de perigo menor para o software proprietário é porque é fácil obter uma equivalente (por exemplo, um software livre). Por exemplo, o Firefox e o Chrome podem substituir o IE, porque ambos funcionam com o HTML.
Mas é complicado conseguir uma adaptação equivalente de um padrão proprietário largamente adotado. Por exemplo, doc x odt.
De maneira parecida, será difícil difundir o GNU/Linux por toda a Índia por causa do perfil de hardware e dos hardwares e dos seus drivers proprietários.

Por – Narendra Sisodiya

Isso me faz lembrar nossas dificuldades discutidas infinitamente nos fórums e listas de discução do SL em nosso país. Nossa dificuldade não é só nossa. Nossa dificuldade não é “proprietária”.

Posted in Aplicativos, Apple, Asus, Big Linux, BrOffice, CentOS, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Dicas e truques, DSL, EeePC, Fedora, Firefox, Firefox, FreeBSD, Games, Go-OO, Google Android, Google Chrome OS, Hardware, História, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, Intel Moblin, iPad, Jolicloud, Kubuntu, Kurumin, Legislação, LibreOffice.org, Linux Acessível, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Mini 10, Mini 9, Mini PC, Moblin, Modem 3G, Mozilla Firefox, Multifuncionais, Netbook Remix, Netbooks, Netscape, OASIS, ODF, OpenBSD, OpenOffice.org, OpenPC, OpenSUSE, OpenSUSE, pasl.net.br, Política, Puppy Linux, Receptor de TV Digital AOC, Red Hat, Satux, Scientific Linux, SK1, Slackware, Slackware, Smartbooks, Smartphones, Software, Software Livre, Tablet PC, Ubuntu Linux, Webcam, Wireless | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Usar Windows está cada dia mais perigoso

Posted by Paulo em 11/11/2010

Existe uma situação interessante acontecendo no mundo, hoje em dia, em particular, no Brasil: o acesso à informação, à Internet está, cada dia, mais popularizado. As vendas de PCs para as classes C e D aumentam todos os anos (http://www.opovo.com.br/www/opovo/economia/894675.html). A inclusão digital está atingindo grandes parcelas da população.

O lado oculto dessa moeda é que os crimes digitais também aumentaram, mas de maneira desproporcional (http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/11/10/brasil-e-3-o-em-hospedagem-de-sites-com-malware-criminoso-diz-websense/). A matéria traz duas informações alarmantes: em um ano, o número de sites maliciosos mais que dobraram e, hoje, sites com algum tipo de código malicioso representam 20% dos sites da internet. Isso significa que você tem uma chance em cinco de entrar num site que coloque um vírus na sua máquina, sem que você saiba.

Existe um ciclo vicioso nessa história. Vejamos como explicar isso de maneira bem didática:

Leia o resto deste post »

Posted in Apendendo Linux, Aplicativos, Apple, Big Linux, BrOffice, CentOS, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Dropbox, DSL, Fedora, Firefox, Firefox, FreeBSD, Go-OO, Google Android, Google Chrome OS, Hardware, História, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, Intel Moblin, Jolicloud, Kubuntu, Kurumin, Legislação, LibreOffice.org, Linux Acessível, Linux Mint, Linuxacessível.org, Livros e Treinamentos, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Mini 10, Mini 9, Mini PC, Moblin, Modem 3G, Mozilla Firefox, Netbook Remix, Netbooks, Netscape, ODF, OpenBSD, OpenOffice.org, OpenPC, OpenSUSE, OpenSUSE, pasl.net.br, Política, Puppy Linux, Red Hat, Revista BrOffice.org, revista espírito livre, Revista Espírito Livre, Satux, Scientific Linux, SK1, Slackware, Slackware, Smartbooks, Smartphones, Software, Software Livre, Tablet PC, Ubuntu - Guia do Iniciante, Ubuntu Linux, Virus, Webcam, Wireless | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Sobre as licenças OEM e os PC’s usados

Posted by Paulo em 20/10/2010

Artigo original em espanhol disponível em: http://fraterneo.blogspot.com/2010/10/sobre-las-licencias-oem-y-las-pcs.html

Hoje em dia é normal que a maioria das pessoas adquira computadores usados. Lamentavelmente, eles vêm com Windows pré-instalado. Muitas lojas vendem esses computadores sem o sistema instalado e sem a etiqueta de autenticidade do Windows (Em outras palavras: Sem a licença ou “chave”).

Evidentemente, por ignorância, as pessoas as compram e procuram seu “técnico em informática” para que ele instale o Windows e todo o resto das aplicações, sem licença, como de costume.

Essa ignorância das licenças que vêm nos sistemas pré-instalados em computadores como Dell, Compaq, etc., pode acarretar problemas legais, quando se trata de uma empresa, e também para usuários domésticos. De fato, esta é uma das coisas que se deve exigir das lojas que vendem computadores usados, porque isso é ilegal. Vejam o que diz a Microsoft a respeito dessas licenças:

Uma vez que uma licença de software OEM tenha sido instalada em um PC, não se pode instalá-la em outro PC ou transferi-la. Em poucas palavras, o software OEM está “casado” com o computador original no qual foi instalado. O contrato de licença de usuário final, que é um contrato entre o fabricante do computador e o usuário final, declara que a licença OEM System Builder não pode ser transferida da máquina original para outro PC. O fabricante (ou integrador de sistemas) está obrigado a oferecer suporte técnico para a licença do Windows. O fabricante não pode dar suporte a uma licença que tenha sido transferida de um PC de sua fabricação para outro de outro fabricante; esta é uma das principais razões do porque das licenças OEM System Builder não poderem ser transferidas. O que, sim, se pode fazer é transferir o computador completo para outro usuário final, junto com os direitos de licenciamento do software. Ao fazê-lo, deve-se incluir os suportes físicos do software, os manuais (se os tiver) e a etiqueta do Certificado de Autenticidade (COA). Também é recomendável incluir a nota fiscal ou a fatura da compra original. O usuário original não pode conservar cópias do software.

Além disso, olhem o conceito que ele têm a respeito dos computadores usados:

Um PC usado é um computador que sofreu poucas ou nenhuma mudança no hardware. A licença do software OEM instalado em um PC usado não pode ser transferida para um PC novo ou diferente. O que se pode fazer é transferir a outro usuário o PC inteiro, incluindo os suportes físicos do software, os manuais e o Certificado de Autenticidade, junto com os direitos da licença do software.

Conclusão: Não importa o preço, as lojas de equipamentos usados são obrigadas a entregar, com cada computador usado, as licenças OEM do sistema instalado e sua etiqueta de autenticidade.

Nota do tradutor: Se você quer ter um sistema usado e legalizado, você tem três opções: 1 – exija do vendedor uma descrição detalhada do que está comprando e dos valores na nota fiscal de compra. Isso inclui sistema operacional, softwares adicionais como anti-vírus, programas de escritório, etc., incluindo a versão (Microsoft Windows XP SP3 Starter edition, ou Microsoft Office 2003 Standard, por exemplo). 2 – Compre o que precisa nas lojas especializadas (o que, com toda certeza vai custar muito mais do que o valor pago pelo PC usado). 3 – Use software livre, como Linux, LibreOffice, etc. Você não pagará nada de licença, terá uma máquina totalmente funcional e a prova de vírus.

Posted in Aplicativos, BrOffice, Debian Linux, Fedora, Firefox, Google Android, Hardware, Intel Moblin, Jolicloud, Legislação, LibreOffice.org, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, Microsoft, OpenSUSE, Política, Scientific Linux, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Linux desbanca Windows no mercado de datacenters

Posted by Paulo em 19/10/2010

Voltando àquele suposto número mágico de 1%, uma recente pesquisa da Linux Foundation aponta que o Linux está roubando uma fatia considerável do Windows no datacenters.

Para quem não sabe, datacenters são centros de serviços de TI, onde empresas podem contratar serviços como hospedagem de sítios, bancos de dados, virtualização e computação em nuvem, entre outros serviços.

Artigo original em http://www.itweb.com.br/noticias/index.asp?cod=72718

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, LibreOffice.org, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, Microsoft, ODF, OpenOffice.org, OpenSUSE, Scientific Linux, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Opinião: Por que a Microsoft está tão assustada com o OpenOffice? – Computação Corporativa – IDG Now!

Posted by Paulo em 15/10/2010

Um burburinho apareceu hoje no mundo do Software Livre. A Microsoft publicou um vídeo, no qual coloca opiniões de supostos clientes que migraram para o OpenOffice, o software de escritório em código aberto, concorrente do Microsoft Office, e depois se arrependeram e retornaram a utilizar o pacote da empresa.

Pessoalmente, eu acho isso ótimo. Antes, quando o domínio era total, a empresa nem tomava conhecimento da concorrência, ditava as regras e impunha padrões fechados. Agora, a empresa começa a estratégia de FUD (Fear, Uncertainty and Doubt – Medo, Incerteza e Dúvida), o que indica claramente que eles reconheceram que a concorrência existe, e não é desprezível.

Como de costume, segue-se a cartilha do marketing, da qual temos exemplos durante os últimos anos, que começa com não tomar conhecimento da concorrência, quando a domínio é absoluto. O segundo passo da cartilha, é quando a concorrência já não é tão desprezível assim, e recomenda a implantação do medo, da incerteza e da dúvida, como uma ameaça aos que ousarem a se aventurar para fora do seu domínio. O terceiro passo, envolve a difamação escancarada do concorrente e, por fim, o quarto passo a utilização de métodos “não ortodoxos” de convencimento, também conhecido como “a mala”.

Se o OpenOffice, doravante conhecido como LibreOffice, já chama a atenção da, antes onipresente, empresa, significa que seu conceito aumentou na empresa, e isso deve ser um motivo de alegria e orgulho para a comunidade. No artigo publicado no IDG Now!, Por que a Microsoft está tão assustada com o OpenOffice?, Katherine Noyes mostra que minha opinião não é a única, e que as coisas estão mudando no mundo do software livre… Pra melhor.

O vídeo da Microsoft pode ser visto aqui: http://www.microsoft.com/showcase/en/US/details/faaf9eb8-77c6-4bed-bc08-c069a7bfbb04

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, LibreOffice.org, Microsoft, OASIS, ODF, OpenOffice.org, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , | Leave a Comment »

Linux: Desbancando o mito do 1%

Posted by Paulo em 27/09/2010

Interessante artigo de Caitlyn Martin, publicada na O’Reilly, em 7 de Setembro.

Artigo original em Inglês em: http://broadcast.oreilly.com/2010/09/debunking-the-1-myth.html

Desbancando o mito do 1%
Por Caitlyn Martin, 7 de Setembro de 2010

“Nada é tão absurdo. Se você repetir com a frequência suficiente, as pessoas acreditarão.” –William James

Parece que, quase todos os dias, alguém na imprensa, ou num fórum de tecnologia, alega que a adoção do Linux em Desktops (incluindo laptops) é insignificante. O número apregoado fica em torno de 1%. Essas alegações são também repetidas por pessoas que defendem o uso do Linux. Ambas as ideias, de que a fatia de mercado do Linux nos desktops seja insignificante, e a figura do 1% são simplesmente falsas, e têm sido já há vários anos.

A fatia de mercado do Linux não é pequena. O Linux e o UNIX possuem a maior parte do mercado de servidores por mais de uma década. O Linux é muito competitivo embarcado em dispositivos. E também está fazendo um grande estardalhaço no mercado de desktops corporativos e residenciais, o que inclui laptops, notebooks e netbooks.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, Apple, Big Linux, CentOS, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, DSL, Fedora, Firefox, Firefox, FreeBSD, Google Android, Google Chrome OS, Hardware, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, Intel Moblin, Jolicloud, Kubuntu, Kurumin, Linux Acessível, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Mini 10, Mini 9, Moblin, Mozilla Firefox, Netbook Remix, Netbooks, Netscape, OpenBSD, OpenPC, OpenSUSE, OpenSUSE, Puppy Linux, Red Hat, Satux, Scientific Linux, Slackware, Slackware, Smartbooks, Smartphones, Software, Software Livre, Tablet PC, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Vírus no Linux? Vida curta e difícil

Posted by Paulo em 26/09/2010

Um ótimo artigo do professor de ciências de computação da Universidade de Brasília (UnB), traduzido do original em inglês de Ray Yargin, em 2006, mas ainda muito atual, mostrando por que as opiniões gerais a respeito dos motivos pelos quais sistemas Linux não são infectados por vírus (em geral se ouve dizer que é porque o sistema não é muito utilizado e, por isso, não é visado pelos crackers) são, no mínimo, balelas.

Esse é um artigo que mostra tecnicamente, mas com uma linguagem acessível aos mais leigos, as verdades e mentiras sobre o assunto. Vale a pena ler.

O artigo original está em http://www.cic.unb.br/docentes/pedro/sd.php

Vírus no Linux? Vida curta e difícil

Derivado para o Português por Pedro A. D. Rezende do artigo publicado em Librenix por Ray Yargin, Agosto de 2006
Por que é que vírus de Linux não é mais do que um assunto para rodas de ciberpapo?  Por que é que os vírus para Linux não nos afetam do jeito que os vírus para produtos Microsoft afetam, a usuários do Windows em particular, e aos cibernautas em geral?
Existem várias razões porque o assunto vírus-de-Linux é abobrinha. Quase todas elas já familiares para quem usa o kernel, quase todas elas ainda desprezadas por quem gosta de ser enganado (tagarelando abobrinhas tipo “é menos atacado porque é menos usado”). Mas há uma razão, muito importante, que estudiosos da evolução biológica podem apreciar. Antes, porém, devemos saber porque o Linux não dá mole para vírus.

Posted in Apendendo Linux, Aplicativos, Big Linux, CentOS, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, DSL, Fedora, FreeBSD, Google Android, Google Chrome OS, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, Intel Moblin, Jolicloud, Kubuntu, Kurumin, Linux Acessível, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Moblin, Netbook Remix, OpenBSD, OpenSUSE, Puppy Linux, Red Hat, Satux, Scientific Linux, Slackware, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

Tecnologias assistivas: a importância do Linux na inclusão de pessoas com deficiência

Posted by Paulo em 23/09/2010

Há dois dias atrás, o Ricardo Lima, instrutor de informática da Unilehu – Universidade Livre para a Eficiência Humana (http://www.unilehu.org.br/), fez um pedido de ajuda na lista de usuários Ubuntu-br (https://lists.ubuntu.com/archives/ubuntu-br/2010-September/079350.html). Normalmente, a lista dá apenas ajuda online, mas, como moro em Curitiba e o problema dele parecia ser relativamente simples de resolver, pedi para entrar em contato comigo e combinarmos uma hora para eu dar uma olhada no problema. De antemão, fiz uma rápida pesquisa na internet sobre o problema que ele descreveu e, visitei a escola onde ele dá aulas de informática para pessoas com deficiência visual.

Devo dizer que foi uma experiência muito boa. O Ricardo utiliza em suas aulas duas remasterizações do Ubuntu, o F123.org e o Linux Acessível em pendrives, ambas utilizando o software Orca como base para possibilitar o acesso de pessoas com deficiência visual a recursos de informática.A ideia é que cada pessoa leve seu pendrive no bolso. Quando precisar utilizar computadores, seja em lan-houses, na escola, ou em qualquer outro local, coloca o pendrive na máquina (ou um CD, já que também é possível instalar o sistema nesse tipo de mídia), inicializa a máquina por ele e tem uma máquina totalmente funcional em questão de segundos.

Mas, nem tudo são flores. “Shit happens”, como dizia o filósofo Murphy. Justamente nas máquinas destinadas ao ensino de informática para deficientes visuais, foram instaladas placas de vídeo com sérios problemas de compatibilidade, pelo fabricante, a Positivo Informática.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, BrOffice, iniciante em Linux, Instalação de programas no Linux, instalação do Ubuntu, Linux Acessível, Microsoft, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Porque a Microsoft erra ao continuar criticando o uso do software Open Source?

Posted by Paulo em 16/09/2010

Artigo original em: http://bsrsoft.com.br/portal/bsrsoft/bsrsoft-dev-editorial-porque-a-microsoft-erra-ao-continuar-criticando-o-uso-do-software-open-source/

Nesta terça-feira, 14 de setembro de 2010, o presidente da Microsoft para América Latina, Hernán Rincón, criticou a decisão de alguns governos da região, incluindo, e especialmente o Brasil, de incentivar – ou mesmo obrigar – a adoção de software livre em seus serviços públicos e sistemas educacionais.

Comentou: “Com todo respeito ao Brasil, mas qual deveria ser o papel do governo? Desenvolver software ou melhorar a vida da pessoas?”

Cometeu diversos enganos, aparentemente de forma intencional, haja visto que trata-se do principal executivo da Microsoft na região que de forma previsível defende o modelo de negócio desta, o software fechado.

Cometeu engano quando vinculou o uso de software livre pelo governo brasileiro à uma hipotética necessidade de desenvolvimento interno de software.

Esqueceu-se de maneira proposital, que software livre, pronto, está disponível livremente por ai. Na maior parte dos casos, nenhum desenvolvimento adicional é necessário.

Muito do que é feito simplesmente, é se escolher o software necessário (livre) e se não houver pessoal interno do serviço público habilitado à instalá-lo e mantê-lo, contrata-se uma empresa especializada para fornecer o devido suporte. Só que neste caso, não entra a Microsoft já que até hoje esta não fornece suporte à software livre.

E apesar de tudo isso, desenvolvimento de software ainda é uma tarefa corriqueira em todos os governos do mundo. Por que isso haveria de ser uma aberração aqui no Brasil?

O governo brasileiro prefere e muitas vezes obriga a apresentação de software livre em suas licitações por diversos motivos, destacando-se:

  • Muitas empresas brasileiras podem prover suporte e desenvolvimento sob software livre, criando empregos, capacitando mão-de-obra em tecnologias de ponta e criando tecnologia de ponta;
  • Possibilidade de auditoria imparcial e total sobre o que setores estratégicos do governo estão rodando em seus computadores, impossibilitando espionagem via back-doors nos programas, por exemplo;
  • Independência tecnológica e independência de fornecedor;
  • Garantia de interoperabilidade entre sistemas diferentes que usem protocolos abertos;

São ótimos motivos para qualquer governo no mundo preferir software aberto e livre.

A NSA (Agência Nacional de Segurança dos EUA especializada em espionagem eletrônica) roda Linux nas estações de trabalho internas, para que tenham acesso ao código de todo programa que usam.

O DoD (Departamento de Defesa dos EUA) segue linha parecida.

O governo da França também e pelos mesmos motivos do Brasil.

Aparentemente a Microsoft vem atacando a iniciativa brasileira pró open source, pois o Brasil perfaz 45% do faturamento deles na América Latina, sendo esta a região com a melhor curva de lucratividade para a empresa atualmente.

Estão defendendo a galinha dos ovos de ouro. às custas de espalhamento de desinformação e medo.

E justo nesses dias em que a Microsoft vem ventilando para todo mundo ouvir, que coexiste bem com o software livre e que até “ama o software livre”.

Palavras ao vento não valem nada. O que funciona de verdade, são ações concretas.

————————————————————————————————————————————–

Matéria sobre o assunto: http://idgnow.uol.com.br/mercado/2010/09/14/executivo-da-microsoft-critica-posicao-brasileira-sobre-software-livre/

Posted in Aplicativos, BrOffice, Conhecimento Livre, cultura hacker, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, Firefox, Firefox, Google Android, Intel Moblin, Jolicloud, Legislação, Linux Mint, Linuxacessível.org, Mandriva, MeeGo, Microsoft, Mozilla Firefox, ODF, OpenOffice.org, OpenSUSE, Política, Scientific Linux, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Linux: após 19 anos, uma diversão que conquistou o mundo

Posted by Paulo em 09/09/2010

Por Flavio Amaral . 02.09.10 – 10h21 do http://colunistas.yahoo.net/posts/4629.html

Em poucas semanas, o Linux vai completar 19 anos de vida. Para quem nunca ouviu falar do Linux, ele é um sistema operacional concorrente do Microsoft Windows e do MacOS da Apple. Diferentemente deles, é gratuito e não foi criado por uma empresa, mas sim a partir de um trabalho de faculdade de um estudante finlandês de Ciências da Computação,  em 1991. E a coisa mais inusitada é que desde o momento da sua criação, foi (e ainda é) encarado como diversão pelo seu criador: Linus Torvalds. “Criei o Linux para ter algo com que me divertir quando estivesse trabalhando com computadores” informou Linus durante sua palestra na Linuxcon, que aconteceu em São Paulo nos dias 31 de agosto e 1 de outubro.

O Linux cresceu à medida que ele divulgou em comunidades de Usenet e listas de e-mail. As pessoas viram o projeto, gostaram e começaram a sugerir melhorias.  Elas foram implementadas e o projeto foi crescendo com a chegada de mais voluntários para ajudá-lo. A consequência disso é que deu início a uma tendência de aplicações gratuitas que viabilizaram o crescimento da Internet.

Para saber mais

– Livro escrito por Linus Torvalds sobre o projeto: Só Por Prazer – Bastidores da Sua Criação.

– Filme sobre oLinux: Revolution OS.

– Livros de programação: C in a Nutshell e Algorithms in C

– Sites: Linux Brasil, BR-LinuxUbuntu Dicas, Ubuntu-BR, Site oficial do Ubuntu.

Leia a matéria completa em: http://colunistas.yahoo.net/posts/4629.html

Posted in Apendendo Linux, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, ODF, Política, Slackware, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

DLL Hijacking também afeta algumas distribuições Linux

Posted by Paulo em 30/08/2010

Artigo original em: http://www.dicas-l.com.br/arquivo/dll_hijacking_tambem_afeta_algumas_linux_distros.php

Colaboração: Alexandro Silva

Data de Publicação: 30 de agosto de 2010

Durante esta semana vimos o”caos” reinando no império do tio Bill. Devido a falhas em DLLs no sistema da Microsoft foram encontradas cerca de 30 vulnerabilidades em seus produtos.

HDMoore e sua trupe imediatamente atualizou o svn do Metasploit com o exploit para explorar está vulnerabilidade. Só que no estilo “Nóis morde, mas nóis também assopra” foi criado uma ferramenta de auditoria, assim usuários do sistema de Redmond podem auditar seus sistemas em busca de falhas. O site Exploitdb também disponibilizou dezenas de exploits para explorar estas falhas, usem com muita cautela.

Porém foi descoberto que algumas distribuições Linux possuem uma vulnerabilidade similar, a falha deu inicio através de um patch do Debian ano passado. Distribuições como Ubuntu e Fedora também estão vulneráveis de acordo com as discussões iniciadas pelo pesquisador em segurança Tim Brown.

Segundo Brown, a falha foi introduzida num patch do Debian lançado em março de 2009.

Na lista de discursão Full-Disclosure um usuário informou que conseguiu reproduzir a falha no Apache CoucheDB rondando no Ubuntu 10.04 e o time de segurança do Fedora informou que o sistema realmente encontra-se vulnerável.

Porém no Linux este bug não apresenta-se na mesma escala que nos sistemas Windows já que a nele a falha é de arquitetura surgindo desde 2002.

Segundo o boletim MS10-aug lançado 10 de agosto de 2010 a Microsoft informa que já foram criadas as correções para estas falhas e trazem maiores informações juntamente com links para ferramentas de detecção.

Leia mais:

Blog do autor: http://www.alexos.org

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, Intel Moblin, Jolicloud, Linux Mint, Mandriva, MeeGo, Microsoft, OpenSUSE, Scientific Linux, Slackware, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Notícia comentada: Brasil é líder em vírus que roubam dados bancários, diz pesquisa

Posted by Paulo em 25/08/2010

Vou iniciar com essa matéria do IDGNow! a série Notícia Comentada, onde vou procurar comentar trechos da notícia para o entendimento de pessoas não ligadas à área de tecnologia. A notícia acima me chamou a atenção e voi veiculada ontem em http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/08/24/brasil-e-lider-em-virus-que-roubam-dados-bancarios-diz-pesquisa/

Brasil é líder em vírus que roubam dados bancários, diz pesquisa

Por Renato Rodrigues, do IDG Now! – Publicada em 24 de agosto de 2010 às 17h52

Dados da empresa de segurança Kaspersky Lab apontam que cibercriminosos nacionais são responsáveis por 36% dos trojans bankers no mundo.

O Brasil ocupa um lugar de destaque no cenário mundial do cibercrime. De acordo com uma pesquisa divulgada nesta terça (24) pela empresa de segurança online Kaspersky Lab, o país é um dos líderes em produção de vírus especializados no roubo de dados bancários – conhecidos como trojan bankers.

Isso não me parece uma novidade e não surpreende.

Além disso, o Brasil é responsável por algo entre 3% a 8% dos cerca de 3 500 novos vírus criados no mundo diariamente – o pico de participação é na época do Natal, devido ao crescimento das compras na web.Já entre os trojans bankers a fatia é muito maior – quase quatro de cada 10 vírus do tipo são criados aqui.

Já isso é interessante: 40% dos vírus para roubo de senhas bancárias são feitos aqui.

Leia o resto deste post »

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Política, Software, Software Livre, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Estatísticas de uso dos sistemas operacionais

Posted by Paulo em 20/08/2010

O W3Schools é o maior sítio de desenvolvedores Web da Internet, com uma quantidade de 103.200.983 visualizações no mês de março passado, sendo que 72% das visitas vieram de internautas europeus e norte-americanos. De acordo com os logs de acesso do sítio, eles publicaram estatísticas de popularidade dos sistemas operacionais das pessoas que acessaram o sítio desde março de 2003.

O resultado foi o seguinte:

Leia o resto deste post »

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Slackware, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Vírus ZeuS provoca rombo de quase US$ 1 milhão em banco na Inglaterra – Segurança – IDG Now!

Posted by Paulo em 11/08/2010

Vírus ZeuS provoca rombo de quase US$ 1 milhão em banco na Inglaterra – Segurança – IDG Now!.

Por IDG News Service, publicada em 10 de agosto de 2010 às 15h48, atualizada em 10 de agosto de 2010 às 16h54.

A botnet atacou 3 mil contas e movimentou quase 1 milhão de dólares em transferências não autorizadas, de acordo empresa de segurança.

Um banco do Reino Unido teria perdido 900 mil dólares em transferências fraudulentas de fundos bancários devido ao malware ZeuS, segundo informações divulgadas pela fornecedora de segurança M86 Security.

De acordo com Bradley Anstis, vice-presidente de estratégia de tecnologia na M86 Security, a empresa de segurança descobriu a situação no final de julho de 2010. O botnet atacou algumas centenas de milhares de PCs e aproximadamente 3 mil Macs. Foram roubadas cerca de 3 mil contas de clientes por meio de transferências não autorizadas, movimentando um total de 892,755 mil dólares.

Leia a matéria completa em: http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2010/08/10/banco-no-reino-unido-foi-alvo-de-ataque-do-malware-zeus/

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Software, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Até 100 mil PCs no Reino Unido pode ter sido infectados por malware ‘Zeus’ – Notícias – PC WORLD

Posted by Paulo em 07/08/2010

Até 100 mil PCs no Reino Unido pode ter sido infectados por malware ‘Zeus’ – Notícias – PC WORLD.

Techworld.com 04-08-2010 (John E Dunn)

Empresa de segurança descobriu base de endereços IP vulneráveis após penetrar em servidores da botnet, que rouba dados bancários.

Criminosos do Leste Europeu conseguiram infectar até 100 mil PCs do Reino Unido com o temido malware Zeus para roubar senhas bancárias, segundo a empresa de segurança Trusteer.

A empresa descobriu detalhes de endereços IP recentemente vulneráveis depois de penetrar nos servidores de controle da botnet, usada pela gangue para colher dados das máquinas infectadas.

… até 1,5% dos usuários de PC no Reino Unido poderão ter sido infectados…

Leia a matéria completa em: http://pcworld.uol.com.br/noticias/2010/08/04/ate-100-mil-pcs-no-reino-unido-pode-ter-sido-infectados-por-malware-zeus/

Isso me faz pensar na notícia que postei anteriormente: https://almalivre.wordpress.com/2010/08/07/governo-ingles-rejeita-pedidos-para-abandonar-o-ie6-noticias-pc-world/

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Política, Software, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Governo inglês rejeita pedidos para abandonar o IE6 – Notícias – PC WORLD

Posted by Paulo em 07/08/2010

Governo inglês rejeita pedidos para abandonar o IE6 – Notícias – PC WORLD.

Computerworld/EUA 04-08-2010 (Gregg Keizer)
Petição solicitava que repartições deixassem de usar o velho browser. Governo afirma que IE6 ajuda a economizar dinheiro público.
O governo britânico rejeitou um pedido para abandonar o navegador Internet Explorer 6, da Microsoft, sob o argumento de que seu uso colabora para economizar dinheiro público.
“Não há evidência de que, ao abandonar o Internet Explorer e instalar outros browsers, os usuários estariam mais seguros. A atualização regular de softwares ajuda a defender contra as últimas ameaças.”

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Política, Software, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comment »

Qual sistema é mais seguro, Linux ou Windows? – Computação Corporativa – IDG Now!

Posted by Paulo em 06/08/2010

Qual sistema é mais seguro, Linux ou Windows? – Computação Corporativa – IDG Now!.

Por Katherine Noyes, da PC World/EUA
Publicada em 06 de agosto de 2010 às 08h30 no IDG Now!

Você acredita que código fechado oferece mais segurança? Então é hora de conhecer outras variáveis que interferem na solidez de um sistema.

“Segurança via obscuridade” pode soar como pegadinha, mas não é a maior pegadinha que afeta os usuários do Windows.

A expressão foi criada para vender a ideia que software proprietário é mais seguro porque é fechado. Se os hackers não puderem ver o código, então será mais difícil para eles criar ferramentas que explorem as vulnerabilidades do programa – assim diz a crença.

Infelizmente para os usuários do Windows, isso não é verdade – e prova disso é o desfile sem fim de correções publicadas pela empresa de Redmond.

De fato, uma das muitas vantagens do Linux sobre o Windows é que ele é mais seguro – muito mais. Para pequenas empresas e outras organizações que não contam com especialistas de segurança dedicados, esse benefício pode ser particularmente crítico.

Há cinco fatores fundamentais que sustentam a superioridade do Linux em segurança. Vale a pena conhecê-los.

Leia a matéria completa em: http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2010/08/06/qual-sistema-e-mais-seguro-linux-ou-windows/

Posted in Apendendo Linux, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, Mandriva, Microsoft, OpenSUSE, Política, Slackware, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Até a Microsoft está usando código aberto… E agora?

Posted by Paulo em 05/08/2010

Artigo original em inglês em: http://www.h-online.com/open/news/item/Bing-Maps-adds-OpenStreetMaps-layer-1050028.html
Artigo traduzido por tuxdahora, publicado no portal Under-Linux em 04-08-2010 11:25 – http://under-linux.org/bing-maps-adiciona-camada-openstreetmap-1436/

Bing Maps Adiciona Camada OpenStreetMap

Após num anúncio realizado na Map Conference realizada na Espanha entre os dias 9 e 11 de julho, o projeto Bing Maps [2] da Microsoft adicionou de forma oficial uma nova camada OpenStreetMap [3] (OSM) sobre seu serviços de mapas online. Par quem não conhece, o OpenStreetMap é um projeto de código aberto que está construindo mapas livres na Web, sem a presença de copyright ou mesmo dados de mapeamentos licenciados. O OSM foi fundado por Steve Coast em agosto de 2004, sendo gerido pela OpenStreetMap Foundation.

De acordo com um post de Blog de Chris Pendleton, o evangelista técnico do Bing Maps (Microsoft Bing Maps Technical Evangelist Chris Pendleton), a nova app de mapa, definida como “OpenStreetMap”, simplesmente carrega os mapas de código aberto como uma nova opção de estilo de mapas. Pendleton afirma que os usuários ainda podem realizar pesquisas sobre a nova camada de mapas, da mesma maneira que já faziam anteriormente, e que a mesma usa o estilo Mapnik do OSM.

Se você está interessado em utilizar essa app web do Bing Maps vai precisar do plugin Silverlight da Microsoft. Porém, o mesmo só está disponível atualmente para Windows XP e Mac OS X.

E se vocês estiver interessado em contribuir para o projeto OpenStreetMap, vá até o site oficial do projeto, crie sua conta de usuário, e participe. O projeto OpenStreetMap está sob a licença Creative Commons Attribution Share Alike 2.0.

Blogs:
Bing Maps o Verdadeiro “Big Brother”

Saiba Mais:
[1] Heise Online: http://www.h-online.com/open/news/it…r-1050028.html
[2] Bing Maps: http://www.bing.com/maps/
[3] OpenStreetMap: http://www.openstreetmap.org/

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , | 1 Comment »

BrOffice.org/MsOffice – algumas perguntas frequentes

Posted by Paulo em 02/08/2010

Esse texto foi extraído da Intranet da empresa onde trabalho e foi enviado por Roberson Cesar Alves de Araujo [roberson] em 28/07/2010 – 14:49. O texto teve algumas linhas modificadas para atualização e correção ortográfica e gramatical.

Dicas IMPORTANTES BrOffice / MSOffice

Em minha empresa, sempre surgem problemas com formatos de arquivos do MS-Office e do BrOffice. Qual a forma correta de tratar essa questão ?

Esta questão requer um embasamento conceitual, afim de evitar o simples “adestramento”, infelizmente, tão comum entre os usuários de sistemas informatizados. Todos os conceitos abaixo se referem ao Microsoft Office até a versão 2003. A versão 2007 mudou completamente o seu formato de arquivos, como é de praxe ocorrer entre as diferentes versões deste software por questões mercadológicas (forçar o usuário a mudar de versão).

Formato de arquivos BrOffice.org x MS-Office
Um formato de arquivo eletrônico especifica como são organizados internamente os dados (texto, figuras, tabelas, etc) e as instruções de como recuperá-las, afim de possibilitar sua exibição em um monitor de vídeo, ou enviar para uma impressora.

Padrões fechados x padrões abertos
Este formato pode ser exclusivo e considerado “segredo” de um fornecedor, ou pode ser aberto, seguindo padrões internacionais, como as normas da ISO.
Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Go-OO, Legislação, Livros e Treinamentos, Microsoft, ODF, OpenOffice.org, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comments »

175 milhões de Windows 7 vendidos. Deveríamos mesmo nos impressionar? – Mercado – IDG Now!

Posted by Paulo em 27/07/2010

175 milhões de Windows 7 vendidos. Deveríamos mesmo nos impressionar? – Mercado – IDG Now!.

Jogo dos 7 erros. Como é fácil manipular dados…

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Software | Etiquetado: , , , , | Leave a Comment »

Mais uma ação anti SL da Microsoft no Brasil

Posted by Paulo em 12/07/2010

Arquivo original em inglês em: http://techrights.org/2010/07/07/political-games-in-brazil/

Da Techrights:

07.07.10

Relato de leitor e vazamento de informações: “A Microsoft estás forçando um EDGI no Brasil.”

Postado em America, GNU/Linux, Microsoft, Windows às 1:13 por Dr. Roy Schestowitz

Resumo: Um membro anônimo da Techrights no Brasil disse que programas do tipo EDGI estão sendo utilizados para impedir a adoção do GNU/Linux pelo Brasil. A prova vazou.

“Eles estão tentando forçar um EDGI aqui no Brasil,” explicou recentemente um membro preocupado. Para aqueles que não sabem o que é EDGI, veja aqui. “Eu entrei em contato com Marcelo Branco,” disse, “vamos ver se ele se intereswsará pelo assunto.”

“De qualquer modo, Eu acho que vou divulgar os documentos que tive acesso na Wikileaks. Basicamente, o Sr Ballmer visitou todos os estados onde os governadores eram do PSDB, um partido de oposição ao PT de Lula (o Partido dos Trabalhadores) e fez acordos para montar os EDGI nesses estados.

“Basicamente, essa é a história. Enquanto o governo federal apoia o Linux, Ballmer fez alianças nos estados controlados pelos rivais… para fazer com que o Linux nas escolas descarrilhe, uma vez que essas escolas recebem computadores doados pelo governo federal com Linux.”

Para dar mais detalhes, aqui está como a fonte resumiu em suas próprias palavras (é necessária pesquisa cuidadosa e verificação):

Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Debian Linux, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, História, Legislação, Microsoft, ODF, Política, Slackware, Software, Software Livre, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 2 Comments »

O Fim do Windows XP SP2

Posted by Paulo em 01/07/2010

Artigo original em: http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2010/06/30/fim-do-windows-xp-sp2-nao-sera-o-fim-do-mundo-para-quem-se-preparar/

Fim do Windows XP SP2 não será o fim do mundo. Para quem se preparar.

Por Bill Brenner, da CSO/EUA
Publicada em 30 de junho de 2010 às 08h00

Os dias do sistema estão contados, diz a Microsoft; se o Windows 7 ainda estiver distante, o pacote SP3 poderá atenuar a dor da migração.

Esta é uma carta aberta para quem está intranquilo com a iminente aposentadoria do Windows XP SP2.

Entusiastas do Windows XP SP2, este é um momento muito difícil para vocês.

A Microsoft, ávida por fazer de todos nós usuários do Windows 7, anunciou que os dias do XP SP2 estão contados – pelo menos em termos de suporte e atualizações de segurança.

Mudanças são difíceis, e esta aqui não será diferente. A Microsoft vai parar de dar suporte ao Windows XP SP2 depois de 13 de julho. Isso significa que não haverá mais atualizações de segurança na Patch Tuesday. Pode-se atenuar essa perda com a instalação do Windows XP SP3, que terá suporte até abril de 2014. Mas isso não torna as coisas mais fáceis: ele ainda é uma grande atualização, e grandes atualizações vêm recheadas de problemas. É um fato da vida.

Leia a matéria completa em: http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2010/06/30/fim-do-windows-xp-sp2-nao-sera-o-fim-do-mundo-para-quem-se-preparar/

É bom que se entenda que, quando o autor diz “A Microsoft, ávida por fazer de todos nós usuários do Windows 7…“, significa: “A Microsoft, ávida por fazer com que todos comprem o Windows 7…“. Quando ele diz “…anunciou que os dias do XP SP2 estão contados – pelo menos em termos de suporte e atualizações de segurança“, significa: “…o que era ruim em termos de segurança, agora vai ficar pior“.

Saia dessa! Use Linux!

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Política, Software, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 4 Comments »

Construindo a máquina da morte.

Posted by Paulo em 14/06/2010

Desculpem, mas não resisti. Estava assistindo o filme “Superherói, o filme”, que a Globo está exibindo e vi esta cena. Não pude deixar de postar, só pra manter o registro. HUAHUAHUA!

The Death Machine Maker - Home Version

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Humor, Microsoft, Software | Etiquetado: , , | Leave a Comment »

Google troca Windows por Linux e Mac nas estações de trabalho de seus funcionários

Posted by Paulo em 01/06/2010

Tradução do artigo original de Steven J. Vaughan-Nichols, da Computer World disponível em: http://blogs.computerworld.com/16232/good_bye_windows_hello_linux_mac_says_google

June 1, 2010 – 6:02 P.M.

Good-Bye Windows, Hello Linux, Mac’ says Google

Como todo mundo que acompanha as notícias de tecnologia sabe, o Financial Times informou que o Google “está encerrando o uso interno do omnipresente sistema operacional Microsoft Windows devido a preocupações com a segurança.” Alguns duvidam dessa história porque ela é vagas a respeito das fontes. Bom, eu perguntei, e a história é verdadeira na sua maior parte. O Google está traocando o Windows pelo Linux e por Macs, mas não por causa da segurança.

Leia o resto deste post »

Posted in Aplicativos, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Fedora, Google Chrome OS, Intel Moblin, Microsoft, OpenSUSE, OpenSUSE, Política, Software, Software Livre, Ubuntu Linux, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Microsoft sofre ataques de rivais por impedir uso do IE9 no Windows XP – Internet – IDG Now!

Posted by Paulo em 08/05/2010

Mais uma vez a Microsoft que obrigar seus “usuários” a comprar seus sistema operacional mais novo, mais caro e mais guloso por hardware para ter acesso a tecnologias mais recentes. Enquanto isso, nas plataformas abertas, os mesmos recursos estarão disponíveis sem custo.

Por IDG News Service/San Francisco

Publicada em 06 de maio de 2010 às 17h03, Atualizada em 07 de maio de 2010 às 18h34

Em conferência, empresa foi criticada por dificultar acesso às vantagens da HTML5, linguagem que será adotada pela próxima versão do browser.

A Microsoft foi alvo de críticas de alguns de seus rivais na quarta-feira (5/5) por decidir não oferecer o navegador Internet Explorer 9 – e, portanto, suporte ao padrão HTML5 – a usuários de seu velho sistema operacional Windows XP.

Leia mais em: http://idgnow.uol.com.br/internet/2010/05/06/microsoft-sofre-ataques-de-rivais-por-impedir-uso-do-ie9-no-windows-xp/

Se a vida verdadeira é a do espírito, então que diferença faz saber a que momento começa, ou termina, a vida do corpo?

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Política, Software | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

ODF 5 Anos

Posted by Paulo em 06/05/2010

Muitas pessoas têm a ilusão de que a Microsoft está na  liderança do mercado porque é competente e tem bons produtos. Essa é uma visão distorcida, típica das pessoas que “pegaram o bonde da tecnologia andando”, e que desconhecem a história. Pessoas que, como eu, estão na área de TI há mais de 20 anos, viveram a história e viram como e por que certas coisas aconteceram, e o mercado de informática tem a cara que tem hoje. Não temos essa ilusão, e vemos o software livre de uma forma muito simpática… Pelo menos a maioria de nós.

O texto abaixo de Rob Wier, lança um pouco de luz na história das aplicações e dos sistemas operacionais, que pode ajudar, a quem esteja interessado em saber, a entender porque os defensores do software livre são tão apaixonados pela sua causa. Como se diz popularmente: “gato escaldado tem medo de água fria”.

01 de Maio de 2010 em http://www.robweir.com/blog/2010/05/odf-5-years.html

Tradução: Paulo de Souza Lima

Há exatamente cinco anos atrás, em 1 de maio de 2005, o OASIS aprovou o formato aberto de documentos 1.0 (Open Document Format – ODF 1.0) como padrão OASIS. Eu gostaria de dedicar uns poucos e breves minutos para refletir sobre esse marco, mas apenas isso. Estamos ocupados no trabalho no OASIS fazendo os últimos ajustes no ODF 1.2. Estamos nas últimas semanas da revisão que tem “todas as mãos na massa” para que possamos entregar as questões pendentes, dessa forma, podemos enviá-la para a revisão pública final. Mas espero que eu possa ser desculpado por um pequeno desvio para comemorar esse aniversário.

Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Firefox, História, Legislação, Microsoft, OASIS, ODF, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

Os 7 pecados do Windows, ou os pecados do Windows 7

Posted by Paulo em 27/04/2010

Artigo original em http://en.windows7sins.org/

Os pecados do Windows 7: O caso contra a Microsoft e o software proprietário.

A nova versão do sistema operacional da Microsoft, o Windows 7, tem o mesmo problema do Vista, do XP e de todas as versões anteriores — são softwares proprietários. As pessoas não têm permissão para compartilhar ou modificar o Windows, ou examinar seu funcionamento por dentro.

O fato do Windows 7 ser proprietário significa que a Microsoft possui controle legal sobre as pessoas que utilizam o sistema operacional, através de da combinação de direitos de cópia, contratos e patentes. A Microsoft usa esse poder para abusar dos computadores das pessoas. No sítio windows7sins.org, a Fundação do Software Livre (FSF – Free Software Foundation) lista sete exemplos do abuso cometido pela Microsoft.

Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Debian Linux, Fedora, Filmes, Firefox, Go-OO, Google Android, Google Chrome OS, Hardware, História, Intel Moblin, Jolicloud, Linux Mint, Mandriva, Microsoft, Netbooks, ODF, OpenSUSE, Política, Scientific Linux, Slackware, Smartbooks, Software, Software Livre, Ubuntu Linux, Virus | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

O formato RTF ou como Conquistar o Mundo com Práticas Comerciais Desleais

Posted by Paulo em 10/04/2010

Artigo original em: http://dicas-l.com.br/dicas-l/20100406.php

Colaboração: Rubens Queiroz de Almeida
Data de Publicação: 06 de abril de 2010

Fazendo uma pesquisa sobre o formato RTF, descobri diversas coisas interessantes. Na disputa entre a Novell e a Microsoft, relativa às práticas desleais adotadas pela Microsoft para tirar o Wordperfect da liderança no mercado de editores de texto, é bastante educativo aprender como, através do uso de um formato supostamente aberto, o RTF, a Microsoft conseguiu desbancar o Wordperfect da liderança de mercado.

Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, Microsoft, ODF, OpenOffice.org, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

A Novela da Microsoft com OOXML Continua

Posted by Paulo em 08/04/2010

artigo original em: http://under-linux.org/content/novela-da-microsoft-com-ooxml-continua-591/?nocache=1

Por saryshagan, publicado em 07-04-2010

Essa novela parece que nunca acaba. Atualmente a Microsoft vem sofrendo fortes críticas por seu papel no processo de normalização para seu padrão OOXML (Office Open XML), junto a ISO (International Organisation for Standardisation). No segundo aniversário da adoção do OOXML como padrão pela ISO, Alex Brown, anfitrião da Ballot Resolution Meeting do OOXML na ISO, afirmou que a Microsoft não está respeitando os compromissos em transformar o OOXML em um padrão ISO aberto. Ele resume toda a situação com a seguinte frase: “Me parece que sem uma mudança na atual direção, é garantido que todo o projeto OOXML rume ao fracasso”.

Leia o resto deste post »

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, Microsoft, ODF, OpenOffice.org, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

O sobe e desce

Posted by Paulo em 21/03/2010

Desce a Microsoft:

Artigo original em http://blogs.estadao.com.br/link/microsoft-deve-us-106-milhoes/

Microsoft deve US$ 106 milhões

17 de março de 2010| 23h00|Por Reuters

Um júri federal no Texas ordenou que a Microsoft pague US$ 105,75 milhões à VirnetX por infringir duas patentes de comunicação via internet. São US$ 71,75 milhões pela violação de uma patente que cobre um método de criação de rede virtual privada entre dois computadores e US$ 34 milhões sobre o estabelecimento dessa rede usando um serviço de nome de domínio seguro.

O júri considerou que a violação foi intencional. O juiz ainda pode triplicar a pena contra a Microsoft.

“Acreditamos que a evidência mostrou que não infringimos nada e que as patentes são inválidas”, disse o porta-voz da Microsoft, Kevin Kutz, que classificou a reparação de danos ordenada de “legalmente e factualmente insustentável” e afirmou que a Microsoft pedirá ao tribunal que reveja a decisão.

A VirnetX acusou a Microsoft de violação de patentes em um processo aberto em abril de 2007, segundo os registros do tribunal.

Sobe o BrOffice:

Artigo original em: http://info.abril.com.br/noticias/corporate/petrobras-instala-broffice-em-90-mil-pcs-19032010-16.shl

Petrobras instala BrOffice em 90 mil PCs

Kátia Arima, da INFO
Sexta-feira, 19 de março de 2010 – 14h24

SÃO PAULO – A Petrobras iniciou o processo de instalação do software de código aberto BrOffice em 90 mil computadores.

A estimativa da BrOffice.org é que o processo permita uma redução de pelo menos 40% nos gastos com aquisição de licenças de software proprietário. Segundo a Petrobras, o principal motivo da mudança foi econômico. A empresa também adotará o ODF como padrão interno de documentos. Como navegador, a Petrobras passou a usar o Firefox recentemente.

Cada setor terá a chance de avaliar se o software atende as suas necessidades e decidir se fica ou não com o BrOffice.

O programa de código aberto já é utilizado por outras grandes empresas como Banco do Brasil, Metrô de São Paulo, Itaipu e Serpro.

E também:

Artigo extraído de um boletim interno do Banco do Brasil e divulgado em https://lists.ubuntu.com/archives/ubuntu-br/2010-March/070423.html

BB estende implantação do software livre ao BNC

Seguindo a política de adoção de softwares livres do Banco do Brasil, a suíte de escritório BrOffice.org, que possui funções equivalentes ao MS Office, foi instalada em mais de 16 mil estações do Banco Nossa Caixa (BNC), possibilitando a abertura e edição de documentos no padrão aberto ODF. Agora, os funcionários das duas instituições podem transitar documentos e planilhas utilizando este formato, com 100% de interoperabilidade, independente do sistema operacional utilizado. Assim, o conglomerado BB inicia 2010 com mais de 125 mil instalações do BrOffice.org em suas estações de trabalho.

Além do BrOffice.org, o software livre ‘Squid’ está sendo utilizado para prover infraestrutura às impressões de documentos do Sistema de Informações do Banco do Brasil (SISBB), que está disponível nas estações de trabalho do BNC. Também já há na rede BB/BNC aproximadamente 1.000 terminais híbridos – que atendem clientes das duas instituições, rodando o sistema operacional GNU/Linux. A previsão é de que até junho sejam cerca de 4 mil terminais.

O trabalho de implantação de software livre no BNC está sendo realizado em conjunto pelas áreas de tecnologia do BB e do BNC. A implantação do software livre é um movimento estratégico para o Banco e alinhado com a política de uso de software livre do Governo Federal e com o Protocolo Brasília – documento assinado pelo BB e por vários outros órgãos em 2007 que sela o compromisso de promover e adotar o formato de documentos abertos ODF. A economia estimada em licenças com o uso de software livre pelo BB já ultrapassa R$ 100 milhões.

Posted in BrOffice, Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Legislação, Microsoft, ODF, OpenOffice.org, Política, Software, Software Livre | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

(Microsoft Windows Vista + Aero) x (Ubuntu + Beryl)

Posted by Paulo em 15/03/2010

Posted in Conhecimento Livre, Cultura Livre, Desenvolvimento colaborativo, Microsoft, Software, Software Livre, Ubuntu Linux | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: